Artigo
voltar para consulta

assunto
Cromoterapia
Autor Data Publicação
24/08/2001
Origem
Revista Sexto Sentido

 


     As cores sempre estiveram presentes na cultura dos povos antigos. Inúmeros relatos sobre a civilização egípcia apresentam a significativa participação das cores nos hábitos culturais e religiosos daquele povo. As cores também tiveram uma presença marcante na Índia e na China, fazendo parte dos hábitos sociais e da cultura religiosa desses países.
pr&Embora o emprego das cores como elemento terapêutico esteja presente em muitas citações antigas, a primeira obra que tratou do assunto surgiu em 1877, mencionando apenas duas cores: o vermelho, agindo como estimulador, e o azul, de ação calmante.
     No ano seguinte, o Dr.E..D. Babbit publicou um trabalho descrevendo o efeito terapêutico das sete cores do arco-íris, mas foi o cientista indiano D.P. Ghadiali quem realizou ampla pesquisa sobre a influência das cores no organismo humano. Ele trabalhou e lecionou nos Estados Unidos, onde desenvolveu as lâmpadas coloridas para uso terapêutico e, em 1933, publicou um livro no qual descreveu a significativa contribuição das cores para a saúde e bem-estar.
     A partir desse estudo, o uso das cores como elemento terapêutico tornou-se bem mais freqüente. Surgiram também vários livros tratando do assunto, fazendo com que a cromoterapia começasse a ser praticada em muitos países.
    No Brasil, a cromoterapia tem sido utilizada em vários redutos kardecistas. Um grande número de casas espíritas adotou as cores para efetuar energização devido às obras de Edgard Armond, que se referiam ao poder terapêutico das cores. Além do kardecismo, outras filosofias também passaram a desenvolver essa prática no tratamento de vários males físicos e mentais.

Influências no Organismo

     As cores surgem pela incidência da luz. A energia luminosa é composta pelas sete cores do arco-íris, como foi comprovado pelo físico e matemático Isaac Newton. A luz é o princípio básico da vida orgânica e, além de fornecer calor, sua presença é indispensável ao desenvolvimento dos vegetais, permitindo que estes realizem o processo da fotossíntese.
     As cores compõem as moléculas dos vegetais, e sua importância nas frutas e legumes é evidente. Ao ingerirmos esses alimentos, o processo digestivo desagrega as moléculas vegetais, possibilitando a seleção e absorção dos nutrientes. As cores contidas nos alimentos ingeridos não são eliminadas nas fezes, mas absorvidas pelo corpo, participando ativamente das atividades biológicas. As cores não são elementos estranhos ao organismo, pois a maquina humana está adaptada para metabolizar substâncias coloridas. Assim, o uso terapêutico das cores para a saúde é considerado um método natural, que hão agride o corpo de nenhuma forma.
pr&A cromoterapia baseia-se nas propriedades terapêuticas de cada uma das sete cores do arco-íris. Inicialmente, a vibração projetada pelas luzes coloridas age nos campos de força denominados chakras, promovendo o reequilíbrio energético destes. Em seguida, seu efeito atinge o físico, permitindo o restabelecimento dos órgãos afetados por alguma doença.

Aplicação das Cores

     O uso de luzes coloridas é a base da cromoterapia, e o tratamento é realizado com lâmpadas coloridas comuns. Existem também aparelhos de cromoterapia, com filtros coloridos para facilitar a aplicação das cores - aplicação esta que deve ser feita no local afetado pela enfermidade, com leves movimentos e a alguns centímetros de distância.
     A visualização das cores é uma forma de potencializar seu efeito curativo. A medida que o terapeuta estiver aplicando a luz colorida, recomenda-se também que o paciente visualize a cor na região afetada para melhor aproveitamento das suas propriedades terapêuticas.
     A visualização também permite que as cores sejam projetadas a distância. Não existe nenhum método especial para emanar cores para alguém - basta imaginar a pessoa envolvida pela cor desejada. O principal é descobrir que cor a pessoa necessita, e para isso basta saber como ela se encontra e pesquisar, na propriedade das cores, qual delas é a mais indicada.
    Tomar água solarizada com cores é uma outra maneira prática de se obter os benefícios da cromoterapia. A solarização deve ser feita em uma garrafa de vidro transparente, envolvida com papel celofane na cor indicada. Coloque água potável na garrafa e leve-a ao sol. Deixe o recipiente exposto à luz por no mínimo uma hora (se o sol estiver forte), durante meio dia (se o sol estiver fraco), ou o dia todo (se o tempo estiver chuvoso). Após esse processo, a água já estará energizada com a cor, podendo ser armazenada em outro recipiente, colocada na geladeira, etc. Só não ferva nem congele essa água. A quantidade mínima sugerida para beber é um copo por dia; no entanto, quanto mais a pessoa tomar, melhor será o efeito no organismo.
     É importante mencionar que a cromoterapia não dispensa tratamentos médicos: ela deve ser usada paralelamente a estes.

Propriedades das Cores

  Vermelho: vitalizador em potencial e estimulante circulatório. Aumenta a produção de glóbulos vermelhos e de ferro no sangue;portanto, é indicado em casos de anemia. Eleva a pressão arterial e energiza o fígado. Não é recomendado usar o vermelho em casos de: febre, taquicardia e pressão alta.

  Laranja: desobstruidor em potencial, usado como auxiliar no tratamento de pedras nos rins e vesícula. A cor também é recomendada para cistos, nódulos e formações tumorais benigmas. É útil na desobstrução dos vasos sanguíneos e para baixar taxas elevadas de colesterol e triglicérides. Pode ser utilizada como substituto do vermelho, quando este não puder ser empregado. Deve-se evitar aplicar o laranja nos casos de trombose.

  Amarelo: estimulante do pâncreas e nervos periféricos. É indicado para diabetes, atrofias nervosas e musculares. Essa cor favorece a digestão, produz efeito laxante e combate os vermes da flora intestinal. Seu efeito terapêutico abrange a pele, favorecendo a manutenção da elasticidade e a cicatrização. Também é recomendada para manchas, cravos e espinhas. Seu uso não é indicado nos casos de infecção, inflamação, gastrite e úlcera.

  
Verde: possui efeito equilibrador em todo o organismo; por isso, pode ser associado a qualquer outra cor para aumentar os benefícios da cromoterapia. Além do efeito terapêutico das demais cores nos órgãos afetados pela doença, a presença do verde favorece uma breve recuperação. É indicado para qualquer problema circulatório e cardíaco, e regulariza a pressão arterial. A mistura do verde com o amarelo forma o verde limão, que favorece a constituição óssea, sendo indicado para a osteoporose. O verde não apresenta nenhuma contra-indicação.

  Azul: é a cor com maior número de propriedades terapêuticas. Produz efeito calmante, adstringente e analgésico nos órgãos e sistemas do corpo. É indicada nos casos de pressão alta, favorecendo a coagulação sangüínea, a regeneração celular, etc. Também é recomendada para todas as doenças infecciosas e inflamatórias, principalmente quando acompanhadas de febre. Suaviza a dor em qualquer parte do corpo. Não é bom aplicar o azul durante as cãibras.

  Índigo: favorece a drenagem linfática, sendo portanto indicado nos processos inflamatórios. Energiza a área visual e auditiva. É recomendado em qualquer problema dos olhos e ouvidos. A cor índigo não apresenta nenhuma contra-indicação.

  Violeta: estimula o sistema imunológico. Seu uso é apropriado para todos os tipos de infecção. Promove o fortalecimento do sistema nervoso central, sendo bastante útil nos casos de derrame cerebral e complicações neurológicas. É recomendado também para tumores malignos. Não há restrição alguma quanto ao seu uso.

Roupas Coloridas

     A presença de cor nas roupas influência o estado emocional da pessoa, promovendo um melhor desempenho na execução das atividades diárias. As cores possuem uma linguagem própria. Tonalidades fortes realçam suas propriedades; as claras são joviais e envolventes; e as mais escuras sugerem isolamento e indiferença.
Optar por cores que sejam opostas a determinado estado emocional negativo é um importante recurso cromoterápico de auto-ajuda. Na tristeza, procure usar cores alegres (tons de amarelo e laranja); no mau humor, vista roupas que sugiram calma e introspecção (azul ou índigo); na indisposição, roupas de cores estimulantes (vermelho ou laranja).
     Conhecer a sensação que cada cor de roupa proporciona a quem a estiver usando, bem como àqueles que estão à sua volta, favorece na escolha da roupa ideal para o seu dia, promovendo o bem-estar interior e uma boa interatividade com o ambiente. Vale lembrar que as cores da roupa não se sobre-põem às qualidades da pessoa. Usar uma cor não favorável à comunicação, por exemplo, não significa que alguém perderá sua capacidade de expressão. As cores contribuem para o estado interior, mas não anulam a individualidade.

Vermelhas

     São indicadas para pessoas indispostas, desmotivadas e para quem precisa enfrentar exaustivas atividades. Vestir roupas vermelhas em determinadas ocasiões sociais põe a pessoa em evidência, tornando-a atraente e sedutora. As pessoas ansiosas ou que se irritam com facilidade devem evitar essa cor.

Alaranjadas

     Sugerem encorajamento e bravura, sendo ideal para os momentos em que é preciso enfrentar grandes desafios, para quando a pessoa estiver se sentindo amedrontada ou deprimida. Elas auxiliam na expressão verbal e corporal, despertando o otimismo e a auto-estima. Nos momentos de tensão, que podem ocasionar discussões, não é recomendado vestir o laranja.

Amarelas

     São leves e joviais. Favorecem a comunicação e transmitem alegria. São ideais para os momentos de descontração e festividade. Pessoas inseguras e que precisam transmitir confiabilidade não devem vestir o amarelo.

Verdes

     Sugerem equilíbrio, ponderação e bom senso, permitindo uma ampla análise da situação. Proporciona serenidade no pensar, evitando o pré-julgamento e as decisões precipitadas. São excelentes para a prática de atividades que exijam precisão. Seu uso é recomendo para quem se encontra agitado, nervoso e estressado.
As pessoas indecisas devem evitar vestir o verde.

Azuis

     Calma, tranqüilidade e serenidade são os principais atributos da cor azul. Roupas com essa cor são indicadas para aliviar tensões diárias e desgastes emocionais. Usar azul sugere uma atmosfera que facilita a aproximação entre as pessoas. As roupas de tonalidades azul-escuro são desaconselhadas para quem apresenta tendências depressivas.

Violetas

     Aumentam o poder de concentração, despertam o interesse e suavizam as preocupações, proporcionando paz e elevação. Favorecem no posicionamento perante as pessoas, sendo indicadas para exercer uma função de comando, tomar importantes decisões e manter o controle de uma situação. Desaconselhadas para as ocasiões alegres, descontraídas e festivas.

Marrons

     Transmitem firmeza, segurança e maturidade. São excelentes para os negócios. Auxiliam a pessoa a ser mais direta e objetiva, transmitindo seus pontos de vista com mais consistência. Não são recomendadas para contatos afetivos, como o namoro, nem para momentos de descontração com os amigos.

Brancas

     Vestir-se de branco sugere transparência e serenidade nos contatos interpessoais. Os trajes são leves, conspirando pela paz e harmonia entre as pessoas. São indicados para quem se encontra em ambientes tumultuados. Não há inconveniente em se vestir de branco.

Pretas

     Suavizam os traços excessivos do corpo, sendo ideal para pessoas obesas. Sérias e imponentes, promovem uma certa distância entre as pessoas. Por um lado, isso facilita a imposição de respeito; por outro, compromete a integração entre aqueles que compartilham de um mesmo ambiente, induzindo ao isolamento. Não são recomendadas para a comunicação. Pessoas tristes, deprimidas e com baixa estima, devem evitar se vestir de preto.

A Cor Preferida Revela a Personalidade

     A preferência por determinada cor é decorrente da ressonância energética entre nós e ela. De acordo com nosso estado emocional, vibramos numa freqüência compatível à faixa vibracional do matiz preferido. Uma pessoa triste e depressiva, por exemplo, sente-se atraída pelas cores escuras; já as pessoas alegres e descontraídas preferem cores vivas e estimulantes, como o amarelo, o laranja, etc.
     Assim, de acordo com as propriedades da cor é possível compreender algumas características da pessoa. Obviamente, os fatores apontados nessa matéria não representam o ser como um todo, mas sim algumas peculiaridades daqueles que optam por uma das cores apresentadas abaixo. A pessoa que não suporta uma determinada cor, rejeita as características apontadas como preferência, apresentando comportamento oposto ao de quem gosta da cor.

Vermelho


     As pessoas que gostam do vermelho são objetivas, extrovertidas e interagem bem com o meio. São rápidas em seus julgamentos e assumem posições definidas: não gostam de meio-termo. Segurança, autoconfiança, sinceridade e honestidade são os principais atributos daqueles que preferem essa cor, e geralmente apresentam temperamento explosivo.
     Possuem traços de liderança.
     Necessitam estar no controle da situação, podendo se tornar dominadores.
     Quem não gosta do vermelho aspira calma e tranqüilidade. Não se sente bem em ambientes agitados; repudia a discussão e a violência. A aversão por essa cor pode também representar frustração e desânimo.

Laranja

     A preferência por essa cor revela alguém aventureiro, que gosta de desafios e tem prazer em enfrentar os obstáculos da vida. São pessoas corajosas, arrojadas e destemidas, que não desistem facilmente de um ideal. São ágeis, criativas, extrovertidas e gostam de viver perigosamente.
     Rejeitar o laranja pode indicar alguém triste e sujeito a depressão, ou ainda, pessoas que negam seus impulsos mais arrojados e se sentem frustradas e fracassadas.

Amarelo

     Descontração, alegria, criatividade e boa comunicação são traços marcantes na personalidade de quem gosta do amarelo. Essas pessoas são colaboradoras, participam intensamente da dinâmica do ambiente.
     Não gostar do amarelo significa uma certa aversão à racionalidade. Geralmente são pessoas que se encontram tristes, amarguradas, pessimistas e sujeitas à depressão.

Verde

     Aqueles que gostam do verde são ponderados, comedidos e não se empolgam facilmente. São confiáveis e possuem um alto grau de companheirismo. Têm facilidade em idealizar, mas não são tão hábeis na execução de seus projetos. Geralmente se atrapalham e até se perdem quando precisam realizar algo. Apresentam certa subjetividade e não têm muita habilidade para lidar com sua afetividade.
     Não gostar do verde representa não admitir o meio-termo, ser objetivo e ter aversão pelas situações indefinidas.

Azul

     A preferência pela cor azul é sinal de emotividade. Ternura e afetividade são características evidentes no comportamento de quem gosta do azul. São pessoas colaboradoras e companheiras, que valorizam a amizade e se mobilizam para conquistar a harmonia nas relações familiares e sociais, interagindo muito bem com o ambiente. São serenas e acolhedoras com aqueles que estão do seu lado.
     Não gostar do azul demonstra dificuldade de envolvimento afetivo, tendência ao isolamento, egoísmo e depressão.

Violeta

     A liderança é um traço marcante na personalidade de quem tem o violeta como cor favorita. Requinte e bom gosto fazem parte de seus hábitos. Essas pessoas possuem uma ótica ampla e profunda acerca das situações, e não se deixam levar pelas aparências. São seletivas na escolha de amigos e não gostam de superficialidade nos diálogos.
     Aqueles que não gostam do violeta geralmente são revoltados com o poder, apresentam uma certa rebeldia em relação ao comando e à autoridade, e gostam de transgredir as regras impostas por um dirigente.

Marrom

     A preferência por essa cor representa maturidade emocional, objetividade, firmeza nas decisões e solidez naquilo que faz. São pessoas bastante ativas e persistentes, que não desistem facilmente dos seus objetivos.

Branco

     São pessoas maleáveis e flexíveis. Agem com naturalidade; apresentam delicadeza em seus gestos. Exigem sinceridade no relacionamento, não gostam de situações obscuras.      Conseguem manter a serenidade mesmo em momentos de grande turbulência.

Preto

     As pessoas obesas geralmente gostam desta cor porque ela suaviza os traços excessivos do corpo. A inibição, o constrangimento e a tendência ao isolamento podem ser condições de afinidade da pessoa pelo preto, ou ainda, o bloqueio emocional e a dificuldade em estabelecer vínculos afetivos. Por fim, pode representar também a dificuldade de integração com o ambiente e de expor seus mais caros sentimentos.

Para saber mais
Cromoterapia - A cor e você (Ed. Roca)
Valcapelli
As cores e as suas funções(Ed. Roca)
Valcapelli
www.valcapelli.com.br

Fone(011) 5072-6448.