Artigo
voltar para consulta

assunto
A Força do Exemplo
Autor Data Publicação
17/08/2001
Origem
Revista Reformador - Julho 2001.

 


     Manhã luminosa. Sol esplendente, fazendo jorrar seus raios multicores sobre a minha face. Inicio a minha trajetória em mais um dia abençoado por Deus.
     Alhures, diviso um casal de rolinhas, arrulhando e se acariciando - exemplo de amor!
     Subindo a ladeira, caminhando com passos incertos, olhos perdidos no tempo, surge uma criatura esquálida e maltrapilha - exemplo de abandono! Alguém se desvia dela, como se de um malfeitor. Lembro--me de uma frase que aprendi: "Por que fugirmos dos andrajos humanos se em nossos corações repousam ulcerações lamentáveis?"
     Mais adiante, uma velhinha de pequena estatura tem dificuldades em alcançar a campainha de sua residência. Alguém presto resolve o seu problema - exemplo de solidariedade!
     A caminhada prossegue. Vejo uma igreja. Pela porta semi-aberta, diviso criaturas orando - exemplo de fé! Vem-me à mente outro ensinamento: "O templo que o homem ergue seja, antes de tudo, o teto de agasalho onde o cansado repouse, o aflito dormite e o infe/iz encontre a paz. Seja simples e modesto, para que sua ostentação não fira a humildade de quantos o busquem".
     Sentados num banco junto à pracinha, três amigos recordam animados os "bons tempos" e sorriem felizes: exemplo de amizade! Ouço um deles dizendo: "Na amizade e no amor se repartem os bens imortais da alma."
     Respiro a longos haustos. Observo um lindo prédio e penso como seria bom construir um edifício da paz com os tijolos da cooperação e a argamassa da caridade.
     Não longe, forte rapaz puxa uma carroça abarrotada de mercadorias - exemplo de trabalho!
     O tempo transcorre. Continuo com minhas observações.
     Um lindo jardim surge à minha frente. Paro extasiado e meus olhos brilham de encantamento - exemplo de beleza! Um pensamento, outrora anotado, surge de repente: "A beleza não está somente nas flores do jardim, mas, antes de tudo, nos olhos de quem as admira."
     Ao lado, recostado em frondosa árvore, um casal dá vazão ao seu sentimento, entre beijos, abraços e juras de amor - exemplo de afeto! Um poeta disse: "O amor é a doce presença da alegria, que envolve as criaturas em harmonias luarizantes e duradouras."
     Caminhando cambaleante, segue um infeliz dominado pela bebida - exemplo do vício. Pitágoras exarou um dia: "Não é livre aquele que não obteve domínio sobre si próprio."
     Um senhor de aproximadamente 60 anos faz seu cooper, disposto e consciente da preservação física. Cumprimenta-me com um sorriso e prossegue feliz - exemplo de vitalidade!
     Ali perto, uma livraria. Dirijo--me até lá. Um vendedor solicito atende-me com carinho e atenção - exemplo de gentileza! Na vitrina deparo com um extraordinário pensamento do Pe. Antonio Vieira: "O livro é um mundo que fala, um surdo que responde, um cego que guia, um morto que vive.
     Retiro-me feliz. Uma senhora conversa com um maltrapilho e lhe oferece, além do caldo reconfortante, alguns minutos de conversação fraterna - exemplo de caridade! Emmanuel, escritor espiritual, baila em meu campo mental, relembrando-me um ensinamento: "Sublime é a caridade que se transforma em reconforto. Divina é a caridade que se converte em amor irradiante."
     Uma estátua na praça. Uma menina loura a observá-la. Na ampulheta do tempo, revejo-me lendo uma historieta: "O fato ocorreu na Itália. Havia uma estátua que representava uma menina grega, escrava. Era formosa, limpa e bem vestida. Uma menina maltrapilha, desasseada, despenteada, deteve-se a contemplar a estátua, eu enamorando-se de/a. Ficou admirada, encantada. Chegou a casa, lavou-se e penteou-se. Pós em ordem seus vestidos e passou a cuidar-se me/hor. A força do exemplo, mesmo um exemplo mudo, estereotipado no mármore."
     Num parque, sento-me e respiro profundamente. Volvo o olhar para o Alto e agradeço as dádivas Divinas. Um toque suave de mão em meus ombros. A entrega de um folheto, enquanto a criatura abençoada se vai. Os pássaros gorjeiam. Os ventos convidam-me a reflexão. Tudo é festa! Curioso, abro o folheto e leio magistrais elucidações para meu espírito, ávido de aprendizado:
     "É longa a estrada dos preceitos: a dos exemplos é breve e mais segura. "- .Sêneca.
     "Em todas as idades, o exemplo pode muitíssimo convosco; na infância, então, é onipotente. " - Fénelon.
     "As palavras comovem, os exemplos arrastam." - Provérbio árabe.
     "Não há modo de mandar ou ensinar mais forte e suave do que o exemplo; persuade sem retórica, seduz sem porfiar, convence sem debate, todas as dúvidas desata, e corta caladamente todas as desculpas." - Pe. Manuel Bernardes.
     "(...) vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais também vós."- Jesus.
     Retorno ao lar, meditando numa bela frase da autora espiritual Joanna de Angelis:
"Vive de tal forma que deixes pegadas luminosas no caminho percorrido, como estrelas apontando o rumo da felicidade."