Artigo
voltar para consulta

assunto
Senhores do Carma
Autor Data Publicação
12/07/2001
Origem
Trecho retirado do Livro "A Herança" - Narci Castr

 


"... Ofélia, na Grécia antiga, quando foi feita escrava de Antecléia (Anne), apaixonou-se por Erasto, hoje nosso professor Carlo. Ela o conheceu no palacete de Antecléia quando esta viveu um romance com ele. Ele, como hoje, era um homem muito atraente e nada fez para provocar o amor despertado na escrava de sua amada, em realidade nunca trocou sequer uma palavra com ela. Sabemos, no entanto, que os sentimentos despertados nas pessoas sempre são justificados por uma história do passado. Ofélia e Carlo foram amantes no antigo Egito. Ela o amava e ele apenas a desejava fisicamente e a usava sem importar-se muito com seus sentimentos. Não contraiu dívidas cármicas com ela, pois nunca a enganou - discorreu Abdul.
....
Abdul continuou a explanação:
"Sabemos ser possível alterarmos um mau carma, pois esta lei, a de causa e efeito, preside duas outras - a lei da justiça que se expressa brilhantemente pela frase: "Dente por dente, olho por olho", e a lei da misericórdia tão preconizada pelo Cristo, quando repetia: 'Toda vez que fizerdes uma boa obra, uma multidão de erros é apagada do vosso passado". Visto isto, torna-se também compreensível a pretensão de Teresa e Maurice em influenciar Anne de algum modo, para evitar as duras provas esperadas, O Carma no entanto está maduro, isto é, não há mais tempo de alterar o embate".
- Por favor, explique-nos melhor o que significa carma maduro - solicitou um dos presentes.
- Diz-se que o carma está maduro, quando já se venceram todos os prazos em que o mesmo poderia ser resgatado pela lei da misericórdia. É este o caso presente - respondeu o mentor.
Gostaria que me fosse explicado como se administra o carma, isto é, se existe mesmo um grupo de seres superiores designados de "Senhores do Carma", que promovem a eclosão dos fatos que são conseqüência de nossas ações boas ou más - solicitou um jovem.
Sim, existe um grupo de irmãos mais velhos de nossa humanidade, auxiliando na administração do carma, mas eles não operam premiando as boas ações e muito menos planejando castigos para as más. Por serem espíritos mais velhos e experientes, são todos bondade, compreensão e misericórdia. Eles retardam, podemos assim nos expressar, as conseqüências desastrosas das infrações cometidas contra a lei da harmonia, para que estas conseqüências não alcancem o infrator, em bloco - o que aconteceria se não fossem assim sustadas. Se deixado a cargo exclusivo da lei, o infrator seria muitas vezes esmagado pelos efeitos desencadeados por ele, e não é este o objetivo. Somente acontecem as experiências na medida certa da suportação de cada um; o objetivo, como já disse, é educar e auxiliar o desenvolvimento moral e não castigar - respondeu Abdul.
- Como eles podem fazer isto? - perguntou o mesmo jovem.
- Planejando o reencontro entre vítimas e algozes em diversas encarnações. Evitando que um número excessivo de prejudicados se reúna em uma mesma época. Promovendo experiências educativas que favorecem mudanças de mente, estimulando o amor ao próximo e as boas ações neutralizadoras de energias hostis, sediadas nas auras, que atraem situações semelhantes. Quando uma pessoa provoca um sofrimento em outra, a energia desencadeada por esse sofrimento adere à aura do agressor como um vórtice; este vórtice atrairá para seu portador uma ação de idêntica natureza contra ele, sem haver necessidade de ninguém ficar contabilizando, é automático. Porém se o portador do vórtice realizar uma boa ação proporcional ao mal anterior suscita uma vibração positiva que tem o poder de anular a energia negativa presente em sua aura. Apaga-se assim um mal carma pelo bem realizado, por isso o Mestre afirmou categórico: "Fora da caridade não há salvação". Entendeu? - explicou Abdul.
- Bem, então a função dos Senhores do Carma é dar oportunidades de resgate cármico de acordo com o grau de suportação de cada um e oferecer oportunidades de modificação no padrão energético através de boas ações, para se resgatar o mal com o bem, é isto? - concluiu o jovem,
- Você entendeu perfeitamente - falou Abdul.

Comentários da Autora(Narci Castro de Souza)

Como acabamos de ler, pudemos observar que a lei do carma não é punitiva, e sim, educativa. Deus na sua infinita sabedoria oferece-nos , sempre, ensejo de quitarmos os débitos contraídos pelas transgressões da Lei da Harmonia e do Amor, com boas ações realizadas através da mudança de nossa mente.
Mestre Jesus nos ensina que fora da caridade não há salvação. Podemos apagar de nosso débitos cármicos uma multidão de pecados quando praticamos o bem .
O texto também nos fala da ação de espíritos superiores, designados de Senhores do Carma, que administram os encontros entre espíritos endividados, de acordo com a capacidade de cada um para sofrer estes embates. Somos também alertados sobre o carma maduro, aquele que já não comporta mais a possibilidade de ser quitado por atitudes positivas. Vem então a nossa mente a velha prece.
"Senhor dá-me coragem para modificar o que pode ser modificado. Resignação para suportar o que não posso modificar e sabedoria para distinguir uma da outra".