Compartilhando    (Manvantara)
Reflexão 7
por Ilda Castro

No alto da colina
Há dois mil anos, no alto de uma colina,
palavras sábias e misericordiosas foram proferidas
- e tudo o que a eles animava ainda anima:
alegria, equilíbrio, amor, compreensão, sabedoria -
para todo o sempre ensinamento de vida.
Felizes os mansos porque a Terra eles herdarão.
E foi lançado o problema, a questão.
O que é ser manso?
Ter domínio completo sobre toda e qualquer emoção,
ou já é um grande passo ter Amor, Alegria e Esperança no coração -
Ter desenvolvidas a paciência, a doçura e a humildade -
mas que coisa difícil de acontecer na atual ir-realidade!
Algumas vezes reajo de forma que achei nunca mais reagir.
Onde estão a doçura, a paciência, a harmonia?
E penso: -Meu Deus, não mudei nada! Que hipocrisia!
Mas não importa! Vou discutindo e lutando comigo;
aprendendo a amar os filhos, o parceiro, o amigo;
tentando, com perseverança,
subir mais um degrauzinho da escada,
mantendo - em mim - a chama da Esperança.
Esperança de, seja quando for - um dia -,
conseguir chegar à mansidão
para que, em Alegria, esse meu coração
reconheça-se - não um reflexo -
mas a voz, a presença, a ação
daquele que, no alto da colina,
escreveu no próprio tempo, com Amor -
Felizes os mansos porque a Terra eles herdarão.

Meu Deus! Não sei o que fiz com o meu talento!...
Será que limitei-me a enterrá-lo
e não houve lucro, nenhum rendimento-
Serei eu o mau servo?
Serei jogado nas trevas exteriores
onde há sangue, ranger de dentes -
onde vivem todas as dores?
Será que nada aprendi?
Só subtraí? Não multipliquei, não somei, nem dividi?
Os dias devoram noites, as noites vomitam dias.
O tempo passa em desabalada correria,
mostrando-nos a sua aceleração.
E preocupo-me... Estarei cumprindo minha missão?
Quero ser cadinho, não peneira.
Quero ser transparente,
mostrar-me sem faixas - autêntica, verdadeira.
Sei que devemos pensar como se cada pensamento
fosse gravado a fogo no céu -
sem segredo, sem mistério, sem mentira - sem véu.
Quero ser luz - firme, forte, brilhante -
de raios de longo alcance.
E procuro pelo talento deixado comigo...
Olho ao redor... e deparo com o riso do amigo.
E tal riso me faz muito feliz,
pois o brilho dos seus olhos me diz
que a missão maior de cada ser é amar.
Saber entender, ser presente, ouvir, compreender, não julgar - doar
E seguro bem apertado o meu talento... com o coração.
Alegre, com a certeza de que em pouco
não será mais um, mas um milhão.

E agradeço - emocionada, comovida -
por ser mais uma nuvem no céu dessa vida
- nuvem que um dia deve desaparecer
para encontrar o oceano que traz em si
- seu Ser.
Obrigada, meu Senhor, meu Pai, meu Amigo,
por estares sempre conosco, por estares comigo.

Cada segundo é único, singular.
Nunca - nunca - se repetirá.
O que acontece agora
jamais - de novo - acontecerá.
Vive cada minuto da tua vida intensamente,
pois logo será passado
podendo ser re-passado, mas não re-vivido.
Não te prendas ao passado,
quer tenha sido querido ou sofrido.
Desvencilha-te dele como, aliviada,
mudas de roupa ao anoitecer -
para que o peso de qualquer culpa
não te faça sofrer
e o contentamento por bons momentos
não venha a te prender.
Vive - conscientemente - o presente.
Ele é tua escola do atual viver.
Por seres eterno aprendiz,
erras, acertas, para novamente errar e acertar -
assim como todos nós.
Cuida, então, para que mesmo nos erros
consigas crescer.
E não deixes de dar atenção à tua verdadeira voz
- a tudo o que ela insinua e diz.
O futuro?!... Ah, esse?!
Espera chegar para que seja presente.
A preocupação com o futuro
cria à tua volta um muro
e não enxergas nada ao redor, logo à frente.
Ela não te permite vivenciar o presente do presente.

Criança, que nessa tua viagem
nada seja fardo, peso - mas bagagem,
que - com certeza - ao retornares
um dia mostrará sua utilidade.
Que a Paciência, a Tolerância, a Humildade
e a Vontade sejam contigo.
Que haja sempre coragem, força e - por que não? ? fragilidade.
Ah! Também justiça, firmeza, compreensão, suavidade.
Que, cada vez que cruzares comigo,
eu faça chegar a ti
Amor, Verdade, Fé, Claridade, Alegria;
mais a certeza de que não nascemos para subtrair,
mas para juntar - somar, multiplicar, dividir.
Como se fora estrela de luz rara, cuida do teu coração.
Não permitas que, por gestos ou palavras, seja apagado.
Cuida dele protegendo, aceitando,
compreendendo, amando-o.
Permita que ele pulse no ritmo que quiser,
mas que não haja opressão, camuflagem, contenção -
armaduras e bloqueios,
pois só assim realizarás teus anseios.
E, quando ele precisar ser ouvido, com carinho,
estarei à espera, fazendo do meu próprio coração um ninho
pronto a abraçar, proteger, aconchegar.


Perguntas Respondidas