A Arte e o Espírito    (O Julgamento)
Sexta Parte - Mais uma Outra Vida. Paulo o Empresário.
por Jorge Queiroz

 

CENA 15 ACENDE A LUZ NO LADO ESQUERDO DO PALCO.
  Paulo agora é um jovem empresário inglês de uns 40 anos. Industrial do fim do século XIX, ele recebe das mãos de alguns operários uma placa de agradecimento. (Paulo e os empregados podem ter um leve sotaque britânico).

OPERÁRIO 1 Mr. Oliver, em nome de todos os operários da nossa fábrica, gostaria que recebesse essa placa de agradecimento por tudo que o senhor e a sua família tem feito por nós, seus empregados, e por toda nossa comunidade.
  (Todos aplaudem)
OPERÁRIO 1 Eu comecei a trabalhar para o seu avô, depois para seu pai, que Deus o tenha, e agora para o senhor. Dediquei 50 anos da minha vida à serviço da sua família. Meus filhos e até meus netos vivem do trabalho aqui da fábrica. Em todos esses anos, nunca nos sentirmos órfãos, sempre tivemos proteção do senhor e dos seus.
MR. OLIVER Muito obrigado. Em nome de todos os meus antepassados, eu agradeço e prometo ser fiel ao lema do meu avô, fundador da nossa indústria. “Servir à Deus, à Pátria e aos meus semelhantes, com dedicação, amor e trabalho”.
TODOS Muito bem! Viva Mr. Oliver! Viva! Viva!

CENA 16 A IMAGEM PROJETADA APARECE NOVAMENTE. Mariana, Gabriel e Paulo conversam.
MARIANA Não entendi, mestre Gabriel. Paulo portou-se como um homem digno.
PAULO Estava me sentindo o pior dos homens, pelo menos nessa vida dei motivos para uma boa reação do povo.
GABRIEL (Com um leve sorriso) Não dizem que a voz do povo é a voz de Deus... Os homens só podem ser julgados quando são colocados à prova. Vamos observar dois anos depois, quando Paulo ou Mr. Oliver deparou-se com as primeiras dificuldades.
  (Gabriel faz um sinal com as mãos e desaparece o VT).
CENA 17 ACENDE-SE A LUZ NO LADO ESQUERDO DO PALCO. Mr. Oliver sentado à uma mesa despacha com um assessor.
MR OLIVER (Lendo um relatório) Mr. John, esses números estão péssimos, nosso faturamento caiu 10%! Desse jeito nosso lucro esse mês será de apenas ...
MR. JOHN (Envergonhado) 40%.
MR OLIVER (Exaltado) 40%! Absurdo! Como poderei viver com apenas 40% de lucro? Teremos que tomar atitudes drásticas!
MR. JOHN Mas, Mr. Oliver foi a primeira vez em dois anos que tivemos uma queda nos lucros, isso pode ser temporário, estamos chegando ao final do ano e normalmente o mercado se reaquece e...
MR OLIVER Pequena queda? Isso porque não foi no seu bolso! O senhor acha que os acionistas vão concordar com o senhor? Claro que não, temos que tomar uma atitude imediatamente! Prepare a lista de demissões.
MR. JOHN Demissões, senhor?!
MR OLIVER Exatamente.
MR. JOHN Mas, senhor, poderíamos cortar outras coisas antes de demitir funcionários.
MR OLIVER Nada disso, vamos demitir, se o mercado melhorar contratamos de novo, não quero mais discussões!
MR. JOHN Como o senhor quiser. Começamos as demissões por onde?
MR OLIVER Por aqueles que produzem menos. Todos os velhos encabeçarão a lista, depois todos aqueles que tiverem mais de um parente trabalhando na fábrica. Em seguida, as mulheres, afinal de contas, elas têm que cuidar da família, não é mesmo? Vamos reduzir a folha em pelo menos 20%.
MR. JOHN Mas Mr. Oliver, é muito! Serão mais de cem pessoas de uma só vez, para normalizar - o lucro não necessitamos de tantas demissões!
MR OLIVER Melhor assim. Os outros ficarão com medo de perder o emprego e produzirão mais. Quem sabe, além de sanearmos as finanças não aumentaremos o lucro.
  (Dá uma boa risada. A gargalhada fica ecoando).

B.O.
CENA 18 A IMAGEM PROJETADA REAPARECE. Gabriel, Paulo e Mariana conversam.
PAULO Que insensibilidade a minha! Esqueci a dedicação e o amor dos meus empregados.
MARIANA Como pode uma pessoa mudar da água para o vinho em tão pouco tempo?
GABRIEL O dinheiro pode corromper as pessoas. O lucro fácil, a exploração do trabalho alheio, o poder de decidir a vida dos outros. Muitos não compreendem que foram colocadas em determinadas posições não por mérito próprio, mas sim para serem testados nas suas deficiências. Seria mais complicado testar Paulo, se ele fosse um simples operário, porque não tendo poderes, sua prova seria mais fácil. Mas como patrão, o teste é maior. Alguns não compreendem isso e acreditam que são os escolhidos por Deus. Não percebem que moralmente, muitas vezes são inferiores aos seus comandados.
PAULO (Envergonhado e sentido) O que fazer para me redimir de tantos erros?Como resgatar tantas dívidas?
GABRIEL Suas dívidas só podem ser resgatadas por você mesmo.E é lá, junto de seus credores que você poderá se redimir. Quando você voltar terá esquecido as suas outras vidas e começará de onde parou, podendo seguir o caminho que escolher.Isso se chama “Livre Arbítrio”
PAULO (Emocionado) Muito obrigado, mestre Gabriel. Eu prometo...
GABRIEL Não prometa mais nada, cumpra antes as promessas antigas e vá com Deus.
  (Gabriel faz um sinal com as mãos e em efeito Paulo e Mariana desaparecem. Em seguida o VT também desaparece).


Perguntas Respondidas