A Arte e o Espírito    (O Julgamento)
12ª PARTE ? MESTRE GABRIEL E A ALUNA MARIANA.
por Jorge Queiroz

 

CENA 27 A LUZ DIMINUI NO CENTRO, ENTRA O VT COM GABRIEL DEPOIS SURGE MARIANA

MARIANA Confesso mestre Gabriel, cheguei a pensar que Paulo não tivesse nenhum atenuante que...
GABRIEL Justificasse o seu ato de aceitar aquele dinheiro? É isso?
MARIANA Isso mesmo.
GABRIEL No fundo todos temos algum atenuante para nossos atos mas, a responsabilidade é a mesma. Paulo usufruiu daquele dinheiro comprou carro, casa, roupas, equipamentos eletrônicos, Paulo não é nenhum santo.
MARIANA Nem demônio.
GABRIEL (Rindo suavemente)... Não, é apenas um homem, imperfeito.
MARIANA E o pianista?
GABRIEL O pianista que lhe fez aquele pagamento, nada mais era que o velho operário que tinha toda a sua família trabalhando para Mr. Oliver, ou Paulo no passado. Como operário, havia sido demitido por Paulo e viu toda a sua família passar necessidade. Achava que Paulo seria seduzido pelo dinheiro. Que hoje, como homem simples e pobre, venderia a sua própria alma. Paulo lutou contra essa tentação e apesar de tirar proveito próprio daquele dinheiro, acabou cedendo grande parte do dinheiro em beneficio dos outros. O pianista, não suportou a responsabilidade de possuir tanto dinheiro. Hipnotizado pelo poder que o dinheiro trazia, pensava que podia comprar tudo, inclusive a sua saúde. Não percebeu que a cura para a sua doença estava numa transformação interior. Paulo e o pianista terão que aprender como usar o dinheiro, sem ser usado por ele.
  (SAI O VT LUZ SE ACENDE NO CENTRO DO PALCO).

CENA 28 BRUNO ESTÁ DESCONTROLADO. CHORA E GRITA EM TOTAL DESESPERO.
BRUNO ...Ele tem a obrigação de me curar, não posso viver sem a minha música, não posso...não posso...
ADVOGADA Minhas perguntas estão encerradas meritíssimo.
  (A platéia reage mais uma vez, uns a favor de Paulo e outros contra. O juiz intervém)
JUIZ Silêncio! Silêncio! A audiência está suspensa! Vamos fazer um recesso por alguns minutos.
B. O.

FIM DO 1º ATO


Perguntas Respondidas