Conquistando SerenIdade    (Educação Gerontológica)
Introdução
por Liliane Bruno

A existência humana na Terra é uma maravilhosa e divina oportunidade de aprendizado. Independentemente da idade cronológica que tenhamos, sempre é tempo de vivenciar novas experiências. Partindo desses pressupostos, os artigos a serem apresentados abordarão algumas nuances da chamada Educação Gerontológica.

Mas afinal, o que é Educação Gerontológica? Em que ela consiste? A quem ela atende? Na tentativa de responder à estas questões, façamos uma reflexão sobre algumas imagens da velhice.

Dentro de uma visão religiosa, a imagem da velhice está freqüentemente associada a uma aura de sabedoria. Lembremos do mestre de barbas longas e brancas e do Preto Velho, por exemplo. Entidades velhas são muito respeitadas e valorizadas por sua experiência de vida. Por outro lado, mesmo em plena vigência do Estatuto do Idoso, nem sempre os anciãos são bem acolhidos e muitas vezes, ser velho é ser excluído, esquecido e discriminado. Importante lembrar, que envelhecer é um processo natural que transcorre ao longo de nossas vidas. Além disso, envelhecer é mais do que um privilégio: é uma benção de Deus.

Buscando viabilizar a valorização da velhice na sociedade, a Educação Gerontológica, enquanto ramo do conhecimento científico, corresponderia a um conjunto de informações que possibilitam ao ser humano conquistar um envelhecimento com saúde, sendo esta compreendida como um estado de completo bem-estar físico, mental, social e espiritual. A aquisição desse estado perpassa as diferentes fases da vida e demanda a construção de valores, hábitos e atitudes ao longo da existência. A principal tarefa da Educação Gerontológica seria conscientizar a pessoa idosa de sua importância, incentivá-la a cuidar-se e integrá-la às gerações mais jovens, permitindo que velhos e moços convivam em harmonia, trocando experiências.

Através da disseminação de informações a respeito do processo de envelhecimento, podemos não somente melhorar a qualidade de vida dos nossos idosos, mas também preparar os que ainda estão longe da velhice para trilhar os caminhos da longevidade com passos seguros e com responsabilidade, lembrando-os que o tempo passa para todos nós e que o futuro trará bons frutos para quem plantar boas sementes.


Perguntas Respondidas