A Arte e o Espírito    (O Julgamento)
13ª Parte - Volta o Julgamento. 2ª Testemunha Antes do Tribunal
por Jorge Queiroz

 

CENA 29 ACENDE-SE A LUZ NO CENTRO DO PALCO. O tribunal retoma os trabalhos. Uma voz gravada informa a reabertura da seção
VOZ OFF Estão reabertos os trabalhos no tribunal presidido pelo Meritíssimo senhor juiz Edgar de Souza Brandão.

JUIZ Antes de reiniciarmos, gostaria de relembrar aos senhores jurados que levem apenas em consideração os fatos aqui relatados e que os senhores e senhoras estão aqui como representantes do povo e por isso a responsabilidade dos senhores é muito grande. Filtrem através da razão todas as informações aqui relatadas e julguem com convicção e serenidade. Senhor promotor pode chamar a sua próxima testemunha.
PROMOTOR Eu chamo a senhorita Angélica do Nascimento
B. O.
CENA 30 ACENDE-SE A LUZ NO LADO DIREITO DO PALCO. Numa cama de casal está deitada uma velha senhora, ajoelhada junto a ela está sua filha, uma linda moça. Ela veste-se discretamente, tem um terço na mão e um véu negro que lhe cobre a cabeça e o rosto. Sua voz é suave e ela reza uma Ave Maria.
ANGÉLICA Ave Maria cheia de graça, o senhor é convosco... Amém.
B. O.
CENA 31 ACENDE-SE A LUZ DO LADO ESQUERDO DO PALCO. Uma sala simples com abajur, uma mesa e algumas cadeiras, um quadro da Santa ceia e um crucifixo na parede. Paulo guarda alguns objetos numa maleta, Angélica vestida com a mesma roupa da cena 30, entra e cai de joelhos, agarrando-se às pernas de Paulo. Ela chora de agradecimento e emoção. (Obviamente é outra atriz)
ANGÉLICA (Chorando) Muito obrigada Seu Paulo, muito obrigada! O senhor é um santo, um santo!
PAULO (Erguendo Angélica bem junto a seu corpo) Que isso Angélica, não chore minha querida... Eu não fiz nada.
ANGÉLICA (Abraçada a Paulo) O senhor salvou a vida de minha mãe. Eu não sabia mais o que fazer, a pouco tempo os médicos a haviam desenganado e ontem eles tiraram novas radiografias e o rim dela estava bom de novo. Eles não conseguiram entender, mas eu sei o que foi, foi o senhor com o poder que Deus lhe deu, recuperou a saúde da minha mãezinha.
PAULO (Abraçando Angélica) Ela vai ficar boa, precisa repousar bastante, mas logo, logo, poderá ter uma vida normal.
ANGÉLICA (Se afastando um pouco e olhando nos olhos de Paulo) O senhor é tão bom, é um santo! Somos tão pobres, não sei como lhe agradecer.
PAULO (Agarrando Angélica com paixão) Você não sabe? Não sabe mesmo? Então vou te mostrar como ...
(Paulo beija Angélica com violência. Ela tenta livrar-se, mas ele é mais forte. Tira a sua camisa e a joga sobre um abajur, a luz diminui aumentando o clima de suspense, ele ri e a ameaça).
PAULO Não adianta gritar, sua mãe está dormindo, seu padrasto está no trabalho.
ANGÉLICA Seu Paulo, não faça isso, por favor! Pelo amor de Deus, eu sou virgem!
PAULO Melhor assim, sua mãe não queria que fosse freira, que casasse com Jesus? E você não disse que sou um santo? Eu sou o representante de Deus. Você agora vai ser minha, vai me servir!
ANGÉLICA Não... por Deus, não...
PAULO A recuperação da sua mãe vai depender de você. Uma vez por semana, eu vou voltar para o tratamento dela e você já sabe como vai me pagar (ri diabolicamente), você vai ser minha...
(Paulo a agarra com violência)
ANGÉLICA Não... Pelo amor de Deus, não...
CENA 32 ACENDE-SE A LUZ NO LADO DIREITO DO PALCO. ANGÉLICA ESTÁ DE PÉ, JUNTO A CAMA DA SUA MÃE. Ela chora e reza a Ave Maria. Essa cena tem o tempo necessário para que Paulo e a atriz que representa Angélica na cena anterior possam se posicionar no tribunal como réu e testemunha.
ANGÉLICA (Chorando) A senhora vai ficar boa mamãe, custe o que custar, a senhora vai ficar boa. Ave Maria, cheia de graça...
 
B.O. Suave


Perguntas Respondidas