Em Busca da Verdade    (Desencarnação - O Despertar para uma Nova Vida)
A Vida Após a Morte é Obra de Cada Um
por Gustavo Martins

|Introducao | Reencarnação | Tempo de Vida |
|Equipes de Desligamento | O Desligamento | As Sensações | Nova Vida Para os que Buscaram a Luz |
|Suicidas | Assassinos e Caluniadores | Seres Altamente Evoluídos | Médiuns | Viciados | Apego ao Corpo |
| Influências Externas| Conselhos | Formas de Desencarne | Animais | Após o Desencarne | Cemitério |
|Locais para onde são Levados |

8. O sofrimento dos Suicidas (Conscientes e Inconscientes)

Como foi falado no tópico sobre reencarnação, todos temos mais ou menos um tempo de vida, onde foi planejado um conjunto de resgates, encontros, lições e etc.

Esses acontecimentos podem ser entendidos como tendências da sua vida e não como destino, ou seja, tudo isso será atraído para você, os resgates podem ser minimizados ou até evitados pelo seu “estilo” de vida. No caminho contrário, os benefícios podem não chegar até você, pelo mau uso dos bens materiais e espirituais concedidos ou pela cegueira espiritual em que o encarnado se encontra.

O suicida não tem o direito de tirar a sua vida.

Não foi o espírito que criou a vida, a vida é um “milagre” do criador, que dá a oportunidade de crescimento para seus queridos filhos. Somente ele, em sua sabedoria infinita tem o direito de retirá-la.

Com ou sem dificuldades, muito doente ou cheio de vícios e erros, abandonado ou demasiadamente idolatrado... Não existe desculpa para o suicídio.

O espírito ficará em estado de sofrimento e só poderá ser resgatado pelos amigos espirituais quando o tempo estipulado para sua vida terminar.

Isso não é uma regra absoluta, existem variáveis que podem minimizar ou até compartilhar com outros a responsabilidade do suicídio, contudo, isso é o que acontece na maioria dos casos.

O suicida pode ficar ligado aos seus restos mortais e sentir a sensação da decomposição do seu corpo físico, isso acontece porque o fio de ligação não foi devidamente rompido, o corpo está morto para o mundo, contudo, o espírito continua ligado.

O sofrimento após a morte daquele que se suicida não é interminável, mas, para aquele que sofre parecerá não ter fim. A grande maioria entra em estado de loucura, porque revive a todo o momento o ato que realizou. Na sua tela mental ele revive os últimos momentos e sente a dor e o sofrimento que causou a si mesmo. Mergulhando em um mundo de alienação ele não enxerga quase nada a sua volta, não consegue sentir a presença daqueles que o visitam periodicamente para orar em seu favor.

O suicida também é presa fácil dos espíritos trevosos, que sugam sua vitalidade.

Em alguns livros nos é falado sobre o Vale dos Suicidas, lugar para onde são “atraídos” os irmãos que decidem abandonar o corpo pela própria vontade. Após a leitura de vários livros, acredito que os suicidas podem ser levados a diferentes tipos de regiões do astral inferior, tudo depende dos agravantes e atenuantes de sua responsabilidade e dos atos cometidos durante a vida.

Religioso ou Ateu, Rico ou Pobre, Poderoso ou Desconhecido, Médium ou Padre, todo aquele que se suicidar sentirá o peso cruel do próprio ato. Conhecendo ou não o plano espiritual ele experimentará a alienação do seu próprio assassinato.

PARA AQUELES QUE CONHECEM UM POUCO DO PLANO ESPIRITUAL, NÃO ACONSELHO A FICAR PENSANDO.... COMO SERIA BOM IR PARA O OUTRO LADO!!! OU EU QUERO MORRER PARA VIVER NO MUNDO DOS ESPÍRITOS!!!

O pensamento é matéria de outro plano, a vontade do espírito é força criadora, se você pensar em morrer, você acabará morrendo e se tornará um suicida inconsciente, passando pelos mesmo sofrimentos do suicida consciente.

Aqueles que são viciados em álcool, cigarros, drogas e etc, acabam diminuindo o seu tempo de vida, e também estão sujeitos a esse tipo de sofrimento depois da morte. André Luiz, no livro Nosso Lar, mostra com suas próprias palavras o sofrimento de um suicida inconsciente (ele próprio), como era considerado:

" Eu guardava a impressão de haver perdido a idéia de tempo. A noção de espaço esvaíra-se-me de há muito.

Estava convicto de não mais pertencer ao número dos encarnados no mundo e, no entanto, meus pulmões respiravam a longos haustos.

Desde quando me tornara joguete de forças irresistíveis?

Impossível esclarecer.

Sentia-me, na verdade, amargurado duende nas grades escuras do horror. Cabelos eriçados, coração aos saltos, medo terrível senhoreando-me, muita vez gritei como louco, implorei piedade e clamei contra o doloroso desânimo que me subjugava o espírito; mas, quando o silêncio implacável não me absorvia a
voz estentórica, lamentos mais comovedores, que os meus, respondiam-me aos clamores. Outras vezes gargalhadas sinistras rasgavam a quietude ambiente. Algum companheiro desconhecido estaria, a meu ver, prisioneiro da loucura. Formas diabólicas, rostos alvares, expressões animalescas surgiam, de quando em quando, agravando-me o assombro. A paisagem, quando não totalmente escura, parecia banhada de luz alvacenta, como que amortalhada em neblina espessa, que os raios de Sol aquecessem de muito longe.

E a estranha viagem prosseguia... Com que fim? Quem o poderia dizer? Apenas sabia que fugia sempre... O medo me impelia de roldão. Onde o lar, a esposa, os filhos? Perdera toda a noção de rumo. O receio do ignoto e o pavor da treva absorviame todas as faculdades de raciocínio, logo que me desprendera dos últimos laços físicos, em pleno sepulcro!

Atormentava-me a consciência: preferiria a ausência total da razão, o não-ser.

De início, as lágrimas lavavam-me incessantemente o rosto e apenas, em minutos raros, felicitava-me a bênção do sono.
Interrompia-se, porém, bruscamente, a sensação de alívio. Seres monstruosos acordavam-me, irônicos; era imprescindível fugir deles.
"

9. A Nova Vida para os Assassinos, Caluniadores, etc.

Compartilharei uma conclusão que tive após ler vários livros sobre desencarnação.

Todas as pessoas que prejudicam outras, sentem um “certo” remorso, contudo, a grande maioria ignora essa "voz interior", o impacto dela é muito pequeno, a culpa vem, mas logo o encarnado consegue se desfazer do pensamento, realizando outros atos maldosos ou continuando a sua vida.

Contudo, após a morte tudo fica diferente, não é mais uma “voz interior” e sim um Grito Ensurdecedor da Alma que transfere para o desencarnado toda a consciência de culpa do erro cometido. A sensação de “culpa” dos desencarnados é implacável, ele não consegue mais ignorar esse sentimento, já que não possui mais o corpo físico para aliviar os impactos emocionais.

Bom, podemos concluir então que aquele que prejudica alguém, no fundo, sempre se sente culpado, mesmo que não admita, e é essa culpa a brecha para todos os tipos de sofrimento que ele padecerá, enquanto continuar encarnado e também após o seu desencarne, caso não mude a sua postura.

Vamos então exemplificar no caso do assassino... Se o João mata o Pedro, Pedro continua existindo, só que em outro plano. Se o Pedro for um espírito bondoso e com algum discernimento espiritual ele perdoará João e seguirá o seu caminho, alcançando esferas de luz e amor. No entanto, a “brecha” de João continua e ele será obsediado, através dessa “culpa” interior por espíritos das trevas, que serão atraídos por esse tipo de vibração.

Existem legiões de espíritos que se julgam “justiceiros”, acham que tem o direito de fazer sofrer aqueles que praticaram maldade, seja por motivo de vingança, seja por motivo de justiça. Espíritos amigos nem sempre podem interceder, já que o faltoso tem compromissos graves com as leis divinas.
O João também pode se tornar um joguete de espíritos maldosos que o manipularão para realizar outras maldades, da obsessão se tornará possessão e após a morte o João se tornará escravo desses espíritos manipuladores.

Uma outra possibilidade é Pedro não ser um espírito bondoso, e, se tornar completamente fechado as inspirações de amor e perdão que serão passadas pelos espíritos amigos.

Ele perseguirá João de todas as formas possíveis. Como João possui uma dívida, ou seja, uma brecha cármica com Pedro, aos poucos Pedro conseguirá obsediar João e fará de tudo para que sofra até os últimos dias de sua vida. Provavelmente espíritos trevosos, hipnotizadores, vampiros, obsessores, manipuladores se aproximarão de Pedro, ensinando-o várias técnicas de obsessão.

Pedro esperará João e quando esse morrer, realizará toda sorte de maldades. O fim desse ciclo, que necessitará provavelmente do renascimento do grupo envolvido, só ocorre através do auxilio de instrutores abnegados, que com paciência e amor esperam que os vingadores “cansem” de fazer maldades e que o “faltoso” esteja apto a ser ajudado.

Chegamos a conclusão que aquele que se compromete na Terra por prejudicar alguém sente um peso tão grande da culpa que isso o impede de ser levado para regiões de Luz.

Se desejar mudar o seu destino terá que acordar para a verdade e, além disso, se sentir merecedor de uma nova chance.

Buscamos mostrar, em aspectos gerais o que acontece, lembrando que cada caso tem suas características próprias.

Um assassino pode mudar todo o rumo de sua vida. No caso de se arrepender ele pode dedicar sua vida ao amor, a paz e a solidariedade. Modificando completamente o seu campo vibratório ele poderá modificar a brecha cármica que abriu.

Embora não se eximindo de sua responsabilidade, que um dia será cobrada pela justiça divina, ele prepara a colheita para a vida após a morte, podendo assim receber a ajuda das equipes espirituais. Todos temos a chance de modificar nossas vidas, ninguém nasceu para sofrer, a Luz do Amor Divino pode ser alcançada por todos.
Retiramos a seguinte passagem do livro Voltei, do Irmão Jacob:
"... Disse que o irmão em crise realmente fora homicida em outra época, mas trabalhara em favor da regeneração própria e a bem da Humanidade, com tamanho valor, nos últimos 30 anos da existência, que merecera carinhosa proteção dos orientadores de mais alto..."

Do livro Evolução em Dois Mundos, de André Luiz, retiramos o seguinte trecho:
"Criminosos que mal ressarciram os débitos contraídos, instados pelo próprio arrependimento, plasmam, em torno de si mesmos, as cenas degradantes em que arruinaram a vida íntima, alimentando-as à custa dos próprios pensamentos desgovernados.

Caluniadores que aniquilaram a felicidade alheia vivem pesadelos espantosos, regravando nas telas da memória os padecimentos das vítimas, como no dia em que as fizeram descer para o abismo da angústia, algemados ao pelourinho de obsidentes recordações.
Tiranetes diversos volvem a sentir nos tecidos da própria alma os golpes que desferiram nos outros...".

 

10. O Desencarne de seres Altamente Evoluídos

Os seres altamente evoluídos, como os Mestres e Santos, conseguem realizar por vontade própria o desligamento do seu corpo físico.

Se assim for a vontade do homem auto-realizado, ele pode se desligar do corpo com tal velocidade e de tal forma que as poderosas energias que circulam pelo seu corpo etérico são absorvidas pelo corpo cadavérico, mantendo por longo tempo o corpo coeso.

Esses seres nada sofrem porque não vivem na terra, mas mergulhados no na infinita consciência divina, eles não são mais iludidos por maya (a grande ilusão) e por isso partem para planos mais sutis, podendo habitar planos acima do astral.

 

11. A Nova Vida para os médiuns

Coloquei esse item por saber toda curiosidade e mistério que circundam aqueles que são médiuns.

O médium não foge a nenhuma regra que expomos aqui. Ele está sujeito as mesmas energias de atração, apego e conduta.

Contudo, a boa, má ou não utilização dos dons que recebeu influenciam e muito no que acontecerá após o desencarne.

O que utilizou de forma produtiva a sua mediunidade, ajudando os que sofrem receberá o benefício da intercessão dos que o amam e sentirá o valor das preces que receberá durante o período de desencarne.

O que não utilizou para nada a sua mediunidade estará sujeito ao seu apego e conduta, contudo, assim que sua consciência se dilatar ele sentirá uma frustração imensa por não ter utilizado o benefício QUE ELE SOLICITOU para ajudar o próximo.

O que utilizou a mediunidade com objetivos egoístas e para benefício próprio fica entregue aos espíritos de baixo padrão com que se afinizou durante a vida. Muito provavelmente será explorado de todas as formas possíveis, pois os espíritos que durante a sua vida atenderam seus pedidos, agora se acham no direito de utilizá-lo da maneira que acharem melhor.

 

12. As sensações físicas, vícios após a Morte – A nova vida dos viciados

O título aqui não fala somente sobre os viciados em Álcool, Fumo ou Drogas, também estão envolvidos os que são apegados a qualquer tipo de “sensação” experimentada na terra.

Os desejos estão no espírito e não no corpo físico, por isso, a maior parte dos recém-desencarnados continua sentindo os "desejos" físicos, sejam eles a fome, a sede, as compulsões, a sexualidade e etc.
Ramatís nos fala de forma clara sobre isso no livro Fisiologia da Alma

"...Na verdade, os vícios terrenos não devem ser encarados como "pecados" ofensivos a Deus, mas apenas como grandes obstáculos e empecilhos terríveis que, em seguida à desencarnação, se transformam em uma barreira indesejável mantendo o espírito desencarnado sob o comando das sensações inferiores..."

Embora fumar ou beber não represente sofrimento para os espíritos após a morte, o vício o incomodará. Sendo uma alma amorosa e com algum discernimento espiritual, ela sofrerá da abstinência como qualquer outro espírito e terá que escolher entre os dois possíveis caminhos dos viciados após a morte:

- Lutar contra si mesmo e abandonar o vício, mesmo que esse o acompanhe por algum tempo.

- Se tornar um vampiro das emanações geradas por encarnados. Encarnados viciados em cigarro enviam para o astral, da quebra das toxinas, elementos tóxicos, que são absorvidos por esses ObsessoresVampiros. Como a absorção do vampiro é menor e o seu vício é tão intenso quanto o do encarnado, ele o estimula a cada vez tragar ou ingerir mais elementos tóxicos. Os viciados em sexo também emanam energias de baixo padrão que são absorvidas pelos ObsessoresVampiros das sensações sexuais e assim temos toda sorte de atração entre viciados encarnados e vampiros que se afinizam com aquele tipo de vicio.

Em vários livros podemos constatar a dificuldade dos espíritos recém-libertos de se desvencilhar do condicionamento físico, sejam os vícios da sede, forme ou sexo. Conforme o espírito vai se desligando da sua última encarnação e dos laços físicos, o seu teor vibratório muda e com isso as sensações vão se extinguindo ou conseguem pelo menos ser controladas, tudo vai depender do esforço e grau de evolução do espírito, não existe regra.

As toxinas aderidas ao corpo através, por exemplo, do fumo "grudam" no períspirito, ou como chamamos também, corpo astral. Essas toxinas vão dificultando o contato com os corpos superiores e com os amigos de mais alto padrão vibratório. O espírito tem dificuldade de contato superior e além disso, está carregado de energias tóxicas.

Quando ele desencarna, essas energias continuam "grudadas" no corpo astral, elas precisam ser expurgadas.

Alguns moribundos ficam acamados dias, as vezes meses. Embora isso seja muito difícil para ele e para a família, esse tempo hospitalizado PODE ser utilizado como uma benção, para expurgar as energias deletérias agregadas ao corpo espiritual.

Se o espírito tem um coração puro e é merecedor da ajuda espiritual podem acontecer coisas interessantes como a que li em um livro que não me lembro o nome, onde uma senhora, merecedora de carinho infinito por muitos, recebeu a proteção espiritual depois do desencarne até que seu corpo espiritual expurgasse as toxinas aderidas por causa do seu vício.

Vale lembrar que são poucos os casos de pessoas que conseguem manter o padrão vibratório alto, tendo um vício, para a maioria dos casos a morte vem como um BASTA para o seu vício e isso não é muito bem aceito.

É importante o espírito encarnado entender as conseqüências do seu vício, porque hoje ele é obsediado, mas amanhã ele se tornará o obsessor.

Retiramos o trecho abaixo do livro Mensageiros, de André Luiz para uma meditação sobre o desregramento de muitos durante a vida:
" - Notam-se, de fato, grandes lacunas na expressão mental do moribundo. Vê-se que atravessou a vida humana obedecendo mais ao instinto que à razão. Observam-se-lhe no mundo celular vastos complexos de indisciplina. Poderemos, contudo, ajudá-lo a desvencilhar-se dos laços mais fortes, no que se refere ao círculo carnal.

- Será um caridoso obséquio — redargüiu a genitora, aflita.

- A irmã está incumbida de encaminhá-lo? — perguntou o instrutor, compreendendo a magnitude da tarefa. — Precisamos ponderar, quanto a isto, porque o desprendimento integral se verificará dentro de poucos minutos.

Ela esboçou um gesto triste e respondeu:

- Desejaria sacrificar-me ainda um pouco por meu desventurado Fernando, mas apenas obtive permissão para socorrê-lo nos seus últimos instantes. Meus superiores prometem ajudá-lo, mas aconselharam-me a deixá-lo entregue a si mesmo durante algum tempo. Fernando precisa reconsiderar o passado, identificar os valores que, infelizmente, desprezou. As lágrimas e os remorsos, na solidão do arrependimento, serão portadores de calma ao seu espírito irrefletido. Grande é o meu desejo de conchegá-lo ao coração, regressando aos dias que já se foram; todavia, não posso prejudicar, com a minha ternura materna, a marcha do serviço divino. Fernando, em verdade, é filho do meu afeto; contudo, tanto ele como eu, temos contas com a Justiça do Eterno e, no que respeita a mim, estou cansada de agravar os meus débitos.

Não devo contrariar os desígnios de Deus. "

Do livro Evolução em Dois Mundos, de André Luiz, retiramos o seguinte trecho:
" ... e os viciados de toda sorte, quais os dipsômanos e morfinômanos, experimentam agoniada insatisfação, qual ocorre também aos desequilibrados do sexo, que acumulam na organização psicossomática as cargas magnéticas do instinto em desvario, pelas quais se localizam em plena alienação.".


13. O Apego ao Corpo físico

Esse tópico é parecido com o anterior, contudo, sobre esse tema encontrei o fascinante trecho no livro Nosso Lar, de André Luiz:

"Regressando ao contacto direto com os enfermos, notei Narcisa a lutar heroicamente por acalmar um rapaz que revelava singulares distúrbios.

Procurei ajudá-la.

O pobrezinho, de olhos perdidos no espaço, gritava, espantadiço:

- Acuda-me, por amor de Deus! Tenho medo, medo!...

E, olhar esgazeado dos que experimentam profundas sensações de pavor, acentuava:

- Irmã Narcisa, lá vem "ele"!, o monstro! Sinto os vermes novamente!

"Ele"! "Ele"!. . . Livre-me "dele" irmã! Não quero, não quero!...

- Calma, Francisco - pedia a companheira dos infortunados -, você vai libertar-se, ganhar muita serenidade e alegria, mas depende do seu esforço.

Faça de conta que a sua mente é uma esponja embebida em vinagre. É necessário expelir a substância azeda. Ajudá-lo-ei a fazê-lo, mas o trabalho mais intenso cabe a você mesmo.

O doente mostrava boa-vontade, acalmava-se enquanto ouvia os conceitos carinhosos, mas volvia à mesma palidez de antes, prorrompendo em novas exclamações.

- Mas, irmã, repare bem... "ele" não me deixa. Já voltou a atormentarme! Veja, veja!...

- Estou vendo-o, Francisco - respondia ela, cordata -, mas é indispensável que você me ajude a expulsá-lo.

- Este fantasma diabólico!... - acrescentava a chorar como criança, provocando compaixão.

- Confie em Jesus e esqueça o monstro - dizia a irmã dos infelizes, piedosamente -, vamos ao passe.

O fantasma fugirá de nós. E aplicou-lhe fluidos salutares e reconfortadores, que Francisco agradeceu, manifestando imensa alegria no olhar.

- Agora - disse ele, finda a operação magnética -, estou mais tranqüilo.

Narcisa ajeitou-lhe os travesseiros, mandou que uma serva lhe trouxesse água magnetizada.

Aquela exemplificação da enfermeira edificava-me. O bem, como o mal, em toda parte estabelece misterioso contágio.

Observando-me o sincero desejo de aprender, Narcisa aproximou-se mais, mostrando-se disposta a iniciar-me nos sublimes segredos do serviço.

- A quem se refere o doente? - indaguei, impressionado. Está, porventura, assediado por alguma sombra invisível ao meu olhar?

A velha servidora das Câmaras de Retificação sorriu carinhosamente e falou:

- Trata-se do seu próprio cadáver.

- Que me diz? - tornei, espantado.

- O pobrezinho era excessivamente apegado ao corpo físico e veio para a esfera espiritual após um desastre, oriundo de pura imprudência.

Esteve, durante muitos dias, ao lado dos despojos, em pleno sepulcro, sem se conformar com situação diversa. Queria firmemente levantar o corpo hirto, tal o império da ilusão em que vivera e, nesse triste esforço, gastou muito tempo. Amedrontava-se com a idéia de enfrentar o desconhecido e não conseguia acumular nem mesmo alguns átomos de desapego às sensações físicas. Não valeram socorros das esferas mais altas, porque fechava a zona mental a todo pensamento relativo à vida eterna. Por fim, os vermes fizeram-lhe experimentar tamanhos padecimentos que o pobre se afastou do túmulo, tomado de horror. Começou, então, a peregrinar nas zonas inferiores do Umbral; no entanto, os que lhe foram pais na Terra possuem aqui grandes créditos espirituais e rogaram sua internação na colônia.

rouxeram-no os Samaritanos, quase à força. Seu estado, contudo, é ainda tão grave que não poderá ausentar-se, tão cedo, das Câmaras de Retificação. O amigo, que lhe foi genitor na carne, está presentemente em arriscada missão, distante de "Nosso Lar".

- E vem visitar o doente? - perguntei.

- Já veio duas vezes e experimentei grande comoção, observando-lhe o sofrimento, discreto. Tamanha é a perturbação do rapaz, que não reconheceu o pai generoso e dedicado. Gritava, aflito, mostrando a demência dolorosa. O genitor, que veio vê-lo em companhia do Ministro Pádua, do Ministério da Comunicação, pareceu muito superior à condição humana, enquanto se encontrava com o nobre amigo que obtivera hospitalidade para o filho infeliz. Demoraram-se bastante, comentando a situação espiritual dos recém-chegados dos círculos carnais. Mas, quando o Ministro Pádua se retirou, compelido por circunstâncias de serviço, o pai do rapaz me pediu lhe perdoasse o gesto humano e ajoelhou-se diante do enfermo. Tomou-lhe as mãos, ansioso, como se estivesse a transmitir vigorosos fluidos vitais, e beijou-lhe a face, chorando copiosamente. Não pude conter as lágrimas e retirei-me, deixando-os a sós Não sei o que se passou, em seguida, entre ambos; mas notei que Francisco, desde esse dia, melhorou bastante. A demência total reduziu-se a crises que são, agora, cada vez mais espaçadas."

Para visualizar o primeiro artigo sobre desencarnação - Refletindo Sobre a Vida - clique aqui.

Para visualizar o segundo artigo sobre desencarnação - Processo Desencarnatório - clique aqui.

Para visualizar o quarto artigo sobre desencarnação - Os Diferentes Tipos de Desencarnação - clique aqui.


Perguntas Respondidas
Assunto: sexualidade Data : 23/04/2008
Pergunta:

os viciados em sexo são estimulados por energias inferiores de baixo padrao, e estimulam a pratica sexual desvairada?

o que é uma pratica sexual desvairada, o que é, de que é composto um ato sexual ou condutas sexuais maléficas e prejudiciais?

qual é a melhor atitude a respeito do sexo

como agir a respeito de atos sexuais?

Resposta:

O ato sexual é uma prática divina, quando feita com amor e carinho, por duas pessoas que se amam e por isso trocam entre si energias superiores e em alguns casos, através desse amor é criado uma nova oportunidade para um espírito reencarnar.

Se o ato sexual é realizado de forma irresponsável, sem sentimento, por pessoas que já possuem compromissos assumidos com outros, etc, ou seja, é muito mais um vício que um prazer então começamos a abaixar a vibração desse ato, atraindo por afinidade espíritos que se vinculam a esse tipo de energia.


Assunto: desencarnação Data : 17/07/2008
Pergunta:

Quando uma pessoa muito iluminada, bondosa, desencarna com 9 dias é possivel ela ter fome e sede o que fazer para ajudar nesta situação obrigado

Resposta:

Uma pessoa bondosa, pura de coração tem o direito de frequentar as colonias espirituais após o seu desencarne, contudo, algumas se prendem a alguma coisa que ficou e não conseguem se desligar, continuando a sentir as sensações físicas e sofrendo.

A única coisa a ser feita é orar e pedir para que esse espírito siga o seu caminho, ficar chamando pela pessoa, tristeza, etc, vai atraí-la e tornará mais difícil o processo.

A espiritualidade é responsável pelo encaminhamento desses espíritos, por isso não devemos fazer nada, somente orar para que ele seja feliz no seu novo lar.

A Fraternidade Francisco de Assis - Casa de Bezerra de Menezes - http://www.franciscodeassis.org.br possui o trabalho de prece para os desencarnados, você pode realizar o cadastrar pela internet.


Assunto: dúvida..... Data : 30/10/2008
Pergunta:

Como é possível saber se alguém que desncarnou está bem?

Resposta:

Algumas pessoas recebem informações através de espíritos amigos, por sonhos ou através de médiuns.

É importante entender que somente os que têm o coração endurecido pelo egoísmo ou maldade não podem ser auxiliados do outro lado da vida, e mesmo esses são ajudados quando sua situação melhora.

Todos os encarnados e desencarnados são amados pelo Pai, ninguém está só ou abandonado.


Assunto: Encarnações Data : 08/05/2009
Pergunta:

BOM DIA

AS PESSOAS QUE TEM UM VICÍO, MAS DURANTE SUA CAMINHADA CONSEGUE ROMPE ESSE VICÍO DURANTE ESSA ENCANAÇÃO, ENFIM ELA TB VAI TER A MESMA CONSEGUENCIA DE UM SUÍCIDA?

GRATO.

Resposta:

Tudo pode ser revertido, a misericórdia de Deus é infinita, contudo, o esforço daquele que um dia errou é necessário para que isso aconteça.

Se você lesou o seu corpo físico e os corpos sutis através de um vício então você criou esse comprometimento, mas a culpa não pode ser o seu guia.

Pratique a caridade e, um dia, através do próprio esforço por se modificar e auxiliar o próximo você obterá a resposta que deseja.


Assunto: Falecimento prematuro Data : 19/05/2009
Pergunta:

olá, gostaria de saber como ajudar uma pessoa que faleceu jovem, de causas naturais, mas repentinamente ( ataque cardiaco) éramos amigos, e essa pessoa deixa filhos pequenos, o que fazer p ajuda-la? temo que ela não se desligue desse plano terrestre, em função de esposo e filhos. informem-me, obrigado.

Resposta:

Conforme informado na série de artigos ninguém está desamparado, todos temos amigos encarnados e desencarnados.

A oração é o maior benefício que podemos realizar por aqueles que partiram antes de nós, ela receberá essas energias de paz.


Assunto: vicios Data : 16/11/2009
Pergunta:

Meu pai faleceu em 08/11/2009. Era viciado em alcool e fumava muito, desde os 13 anos de idade. Ele faleceu com 62 anos, teve uma troboembolia pulmonar e em seguida várias paradas cardiacas e acabou nao resisitindo. Quero saber como posso ter noticias dele, como ele esta e como ele esta em relação aos vicios. Procuro ajuda, minha dor é grande, tenho uma grande ligação com ele e sinto muita saudade e falta, por favor me ajude.

Resposta:

Você poderá comprovar através dos livros psicografados por vários autores espirituais que o vício não para com o final da vida, ele pode continuar do "outro lado" levando o espírito a padecer durante longos períodos no astral inferior.

Também é importante entender que aqueles que não dão o devido valor ao seu corpo são considerados "Suícidas Inconscientes" pelas leis espirituais. Você pode entender um pouco melhor este assunto lendo o livro Nosso Lar.

Você deve modificar sua postura conforme foi informado em nosso artigo, se deseja ajudar o seu pai ore para que ele siga o seu caminho em paz.

Você pode ir até um Centro Espírita e colocar o nome dele para ser auxiliado ou cadastrá-lo no tratamento de "Prece para Desencarnados" na internet, criado pela Fraternidade Francisco de Assis - Casa de Bezerra de Menzes (http://www.franciscodeassis.org.br).


Assunto: suicidio Data : 27/11/2009
Pergunta:

um rapaz de 19 anos se enforcou na sala de sua casa. os pais se mudaram. e agora estou precisando alugar uma casa e eles me ofereceram a casa. preciso saber o que fazer para limpar a casa e se devo ou nao mudar para lá. tenho medo que seu espirito esteva vagando por la e se interfira na vida da minha familia. obrigado

Resposta:

Os suicidas podem ir para o Vale dos Suicidas, localizado no Astral Inferior ou ficarem no local do ato extremo ou ainda ir para outro local que se afinize ou que seja arrastado pelos espíritos trevosos. Não podemos determinar com exatidão o local que ficaram aguardando o término do período expiatório, para então serem resgatados pelos espíritos amigos.

A maior proteção para o ambiente doméstico é o Evangelho Semanal no Lar, realizado sempre no mesmo dia e hora, onde os participantes ouvem os sublimes ensinamentos e exemplos do nosso querido Mestre (publiquei um artigo no site que mostra como iniciar o evangelho no lar).

A prece diária, ao acordar e deitar, também cria um ambiente energético agradável na residência.

Se você frequenta um centro espírita poderia solicitar a limpeza do ambiente espiritual da casa informada.

Não posso indicar qual opção você deve tomar, somente lhe informei o que pode ser feito para ajudar na limpeza espiritual do seu ambiente doméstico.

Muita Paz.


Assunto: recemdesencarnado Data : 20/01/2010
Pergunta:

depois de uma longa doença acamado por mais de dez anos a pessoa desencarna o seu espirito pode ainda estar dormindo depois de dois meses?

Resposta:

Olá,

o estado espiritual após o desencarne é muito variado.

A doença ou acidente que causou desenlace não está ligada diretamente ao seu estado após o desencarne, tudo dependerá da sua evolução, de aceitar a nova situação e do merecimento pelas ações que realizou durante sua vida.


Assunto: lesão no perispirito Data : 15/03/2010
Pergunta:

no caso de morte por acidente, jovem 28 anos e 11 meses,sem vícios de alcool ou drogas ou cigarro, espírita, policial desencarnou em serviço. sei que espíritos amigos já se encontravam no local do acidente a espera do momento fata. é possivel o desligamento do espírito antes do impacto? e se foi retirado antes do impacto , mesmo assim existe a lesão perispiritual?

Resposta:

A lesão espiritual, caso existe, só não é tratada pelos amigos espirituais quando a responsabilidade é do espírito, seja pelo suicídio consciente, inconsciente ou atos irresponsáveis.


Assunto: morte de minha mãe ha 3 dias Data : 01/05/2010
Pergunta:

minha mãe era testemunha de jeovapor eu ser espirita ela não me aceitava dentro da casa dela embora os outros 8 irmãos não puderam zelar dla no seu leito de morte porlongos mses sofri todo tipo de pressão pois não tive coragem de manda-la pra um asilo.ela desncarnou na propria cama,no mesmo quarto onde hoje eu descanço.a primeira noite senti a presena dela.fiquei nuito brava pois preciso dormir.o que devo fazer pra que ela tenha paz?ela pode estar querendo que eu saia da casa dela ainda?o ritual do velorio todo foi feito dentro da religião dela.ñ havia nem velas e nem terço.o que devo fazer agora?

Resposta:

Olá,

existem inúmeros motivos que podem estar prendendo sua mãe ao lar, contudo, devemos nos concentar em ajudá-la.

Primeiro e mais importante você deve vibrar na sintonia do amor, pois embora você possa estar prejudicada pela situação, tenho certeza que ela sofre muito, pois não se preparou para o que poderia acontecer após a morte.

- Ore para que ela se acalme e seja auxiliada pelos amigos espirituais.

- Cadastre-a no trabalho de Prece para Desencarnados realizado pela Fraternidade Francisco de Assis - Casa de Bezerra de Menezes - http://www.franciscodeassis.org.br.

- Você pode também iniciar a frequencia a um centro espírita sério para assistir palestras, receber passes e beber água fluidificada, solicitando também um tratamento de desobsessão.


Assunto: Sensações de desencarnados próximo. Data : 08/09/2010
Pergunta:

Vou procurar resumir ao máximo e expor a minha dúvida. Há cinco anos atrás, tive a minha primeira experiência de mediunidade, isso tudo porque,observando, quando chegava em um certo horário da madrugada, com toda luz apagada, senti a "mão"de algum espírito que supostamente não sei se é de parente, ou desconhecido, levantando por debaixo do travesseiro a minha cabeça, sendo que acordei com a sensação do espírito e me debati para acordar é como eu gritasse na sonolência e ninguém me ouvisse, acordei apavorada. O mesmo fato ocorreu por esses dias, porém senti a mão e nesse caso tinha faltado a luz. Já que apartir daqule ano comecei a ascender o abajur, estou desorientado o que devo fazer????

Resposta:

Olá, não consigo compreender ao certo o fato, mas você deverá iniciar um caminho de estudo e busca para primeiramente verificar se realmente possui mediunidade para trabalhar em grupos mediúnicos ou se foram acontecimentos pontuais.

Inicie a frequencia a um centro espírita sério, assista palestras, receba passes e beba água fluidificada. Durante o período inicial no centro converse com o responsável do grupo mediúnico sobre o que aconteceu com você.


Assunto: desencarnação e mérito Data : 10/09/2010
Pergunta:

Se um homem que nasce na extrema adversidade

em meio a pobreza e a violência, desencarna

muito revoltado vai p/o umbral?E um que desencarna na riqueza sem nunca ter conhecido a dureza da vida,desencarna muito

avarento,vai para o umbral?Então há um paradoxo nisso,onde a misericórdia de Deus? Dois homens vindos de mundos e experiencias muito diferentes juntos??? A PROPÓSITO JÁ ESTUDEI ALGUNS ANOS O ESPIRITISMO, MAS NEM TUDO PODE SER ESCLARECIDO AINDA.

Resposta:

Olá,

O espírito é atraído para o umbral após a sua desencarnação pela "densidade" do seu corpo espiritual, isso não está diretamente ligado ao tipo de experiência que ele realizou, massim ao amor que possui no coração e os méritos que adquiriu pelo sacrifício na evolução própria e no amparo aos semelhantes.

Ambos os casos citados mostram que não há amor, humildade e paciência. De um lado o revoltado sem a devida resignação e do outro o rico, egoísta, sem o amor para com

os seus semelhantes.

Ambos cairam nas provas que a encarnação lhes trouxe e pela própria lei de afinidade habitarão locais inferiores após a morte.


Assunto: mediunidade. Data : 14/09/2010
Pergunta:

como medium tive varios problemas com espiritus trevosos,mas sempre peço muito a DEUS para me auxiliar a me tronar uma pessoa melhor.tenho cometido erros mas sempre procuro repararlos,tive contato com uma mulher que conheçi em outras vidas so que ela nao acredita em DEUS eles usarom isso para distanciar a gente,sempre que oro por ela eles dizem que de nada adianta porque ela nao acredita,e verdade isso?eu nao quero que ela soframas sempre durante os sonhos vejo ela coma r sombrio.outra coisa sempre tento ajudar as pessoas da melhor maneira posivel,quando cometo uma falta peço perdão a pessoa ofendida,mas o que acontece se ela nao me perdoar irei para o umbral tambem?oro sempre e peço a os espitus de luz me ajudar,mas isso me serve?

Resposta:

Se a falta para com o próximo é muito séria e a responsabilidade é sua então isso pode acarretar compromissos que terá que assumir nesta ou em futuras encarnações, mas isso não quer dizer que irá para o Umbral.

O local que habitaremos após a morte está intimamente ligado à nossa vibração, nossos valores, ações e pensamentos.

Todos erramos, mas se erramos muito e por motivos de egoísmo e orgulho então isso indica que estamos vibrando em faixas inferiores, o que nos torna "afins" para habitar o Umbral após a desencarnação.

Caro amigo, a frequencia a um centro espírita para melhor compreensão dos ensinamentos espíritas, participando de palestras, recebendo passes, bebendo água fluidificada e participando de atividas de caridade ajudará na transformação interior.

A oração é importantíssima para o equilíbrio, mas ela deve caminhar junta com atividades que buscam o seu equilíbrio. O estudo e a correta ação no bem através de pensamentos equlibrados e emoções harmoniosas permitem alcançar um estado de paz interior, que ajudará também as pessoas que o rodeiam.


Assunto: Suicidio inconsiente Data : 20/09/2010
Pergunta:

Meu irmão de 25 anos faleceu no dia 13/02/2010, decorrente de um acidente de moto, não houve outras vítimas, ele caiu, o capacete como não estava fechado na parte de baixo saiu de sua cabeça, lesionando-a. Ele ainda foi levado para o hospital, mas veio a desencarnar mais ou menos duas horas depois, gostaria de saber se esse tipo de acidente é considerado como suicidio inconsiente? Se ele pode estar no chamado "umbral"? Ele sempre foi uma pessoa boa, ajudando a todos,com muitos amigos e afetos...

Resposta:

Olá,

acredito que nessa situação não é um suicídio, mas uma fatalidade, não posso afirmar com certeza porque não temos ainda a visão que nos mostre todos os aspectos de uma situação.

Não pareceu haver intenção de se suicidar ou irresponsabilidade na direção, mas um pequeno erro que ocasionou a fatalidade.

As vibrações positivas das pessoas que ele aqui deixou com certeza o ajudarão muito, mas a estadia no Umbral dependerá de inúmeros fatores, conforme explicamos no artigo sobre desencarnação.


Assunto: Umbral Data : 14/10/2010
Pergunta:

Acho que quado eu desencarnar poderei ficar no umbral, pois não sei se consigo perdoar, nem se as pessoas que preciso perdoar querem meu perdão.

Tenho medo de não conseguir perdoar meus pais nesta vida. Sinto muita revolta para com eles. Ambos são encarnados,consigo permitir o convívio com minha mãe , e sinto que embora ela não tenha consiencia de todo mal que me causou (ela se recusa e diz que é tudo coisa da minha cabeça) um dia acho q conseguirei perdoa-la. É possivel que eu perdoe alguém sem que essa pessoa reconheça seus atos?

E com relação a meu pai eu prefiro nem pensar nele. Remoer toda a maldade dele só me faz mal. Não tenho convívio com ele, ele não me faz falta e acredito que mantendo ele longe da minha família estou proejendo-a. Quando penso nele, penso tb que não sei o q é perdão. Mas comparando a gama de sentimentos que tenho em relação a ele hoje sou mais tranquila. Minha revolta é menor. Gostaria de me desligar completamente dele. Mas não sei como seria possível pois não sei como perdoar, nem se quero. Acho que não tenho tamanha grandiozidade.

Acho também que manter minha família (principalmente minha filha) longe dele é protege-la e não abro mão de forma alguma disso. Posso estar agindo de forma errada?

Por favor me ajude a organizar meus sentimentos.

Muito obrigada

Resposta:

Não temos como afirmar se o afastamento é ou não correto, não podemos nos envolver com questões pessoais.

O perdão não pode exigir que o próximo reconheça o erro, pois quando realmente amamos nada exigimos em troca, o amor por si só já basta, é fonte inesgotável!

Querida irmã, creio que em pouquíssimos casos existem onde somente 1 pessoa está errada.

Todos nós, incluindo a minha humilde pessoa nesse grupo, ainda falhamos pela imperfeição da nossa natureza egoísta e orgulhosa.

Quando perdoamos de coração também recebemos o perdão de muitos erros cometidos, quando você ora o Pai nosso é isso que pede ao dizer "Perdoai as nossas ofensas assim como nós perdoamos aqueles que nos tenham ofendido".

Não perdoar significa que seremos julgados com o mesmo peso que julgamos, e além disso ficamos preso ao problema, remoendo-o e deixando de aproveitar as inúmeras possibilidades positivas que a vida nos oferta. Esse sentimento negativo perdura após a morte e pode exigir uma nova encarnação para resolvê-lo, será que vale a pena?

Perdoar é sinônimo de libertação, é atalho para a felicidade é o caminho da paz, pois quem não perdoa não pode ser feliz e é por esse motivo que Deus nos testa, a todos, para que perdoemos, pois assim agindo também seremos perdoados.

Para reflexão final citamos o maior exemplo de perdão que a Terra testemunhou, nenhum de nós será vítima maior que Jesus, o Cordeiro de Deus, que a ninguém ofendeu, que nada fez de mal e foi humilhado por aqueles que mais amou, abandonado por aqueles que cuidou e traído por um discípulo. Em seu último suspiro nos legou a lição final para a libertação do homem perdoando a todos.

Querida irmã, ELE é o exemplo e caberá a você optar pelo caminho da salvação ou por ainda sofrer na senda do erro.


Assunto: sonho Data : 28/01/2011
Pergunta:

Minha mae faleceu a um ano e seis meses,somos uma familia muito unida,quase enloquecemos quando perdemos ela,sonhava com ela sempre que conseguia dormir,depois que pedi oracoes para desencarnados atraves deste saite,dificilmente sonho com ela. Porque? Será que a gente nao se encontro mais? Porque?

Resposta:

Olá,

aconselho a leitura da série de artigos que publicamos nesse site, na coluna "Em Busca da Verdade".

Não é comum encontrar "sempre" um desencarnado, pois quando isso ocorre é geralmente porque ele ainda não conseguiu se libertar dos laços físicos e está sofrendo.

Se você realmente ama a sua mãe ore para que ela tenha paz e continue a vida, pois ela não morreu, simplesmente está em outro plano.

Se você ficar a chamando e desejando sonhar com ela estará prejudicanda a adaptação dela.

Modifique o seu pensamento e emoções se deseja auxiliar o caminho dela.


Assunto: sensações experimentadas após o desencarne Data : 12/02/2011
Pergunta:

Quando um espírito desencarna por uma doença e continua sentindo seus efeitos depois de desencarnar significa que ainda está preso à matéria ou isso acontece com todo? O tempo de desprendimento é igual para todos ou varia de espírito para espírito ?

Resposta:

O tempo varia entre espíritos, depende da evolução, do desprendimento e do equilíbrio.

Se ele continua sentindo os efeitos da doença é porque se nega a aceitar a vida após a morte e adaptar-se a sua nova morada espiritual.


Assunto: mundo espiritual Data : 17/02/2011
Pergunta:

como é o mundo espiritual , os espiritos trabalham , a vegetação a dia , noite , a agua no plano superior e como seria a sua alimentação .

Resposta:

Olá, aconselho a você ler dois livros, nessa ordem:

Violetas na Janela e Nosso Lar.

Depois leia O Livro dos Espíritos para aprofundar o conhecimento.

Essas perguntas e outras serão respondidas com profundidade nos livros informados.


Assunto: Sexo, morte e amor (Urgente) Data : 18/03/2011
Pergunta:

Considerando o artigo e depoimentos acima li que o sexo se feito com amor é considerado divino, então lhe pergunto, no plano espiritual existe alguma manifestação, semelhante ao sexo que seja feito como prova de amor de uma pessoa a outro que está la, por exemplo antigo namorados que se reencontram que nunca fizeram nada porem gostariam mas não houve tempo?

É possível que alguém que tenha falecido e tinha uma ligação bastate forte com alguem encarnado, posso vir busca-la pra ele, pra viverem juntos no céu se deus permitir? será se deus permite segunda chances a outras pessoas em plano diferentes, um reencontro?

Tinha algo pra falar a alguem que faleceu mas nao deu tempo, ele ja sabe o que eu ia dizer? E se em um sonho ele me disse " pra naõ me preocupar que ele vem me buscar o mais rápido possível" posso esperar que ele vem mesmo, se eu quero ir pra ficar com ele.

e se por conta disse que ele falou eu me desencaminhei e pensei em suicidio lento e ele se preocupou e em sonho pra outra pessoa ele disse " que me queria lá com ele mas pelas mão de Deus" como devo me comportar vivo como se cada dia fosse o ultimo só pra poder ir logo pra junto dele.

Por favor respondam logo ja mandei outro a dias e não tive resposta to agoniada, to ate fazendo tratamento espiritual mas naõ adianta to ficando pior a medida que o tempo passa. Não me alimento direito mais, meu rendimento de estudo e trabalho ta sendo afetado porque na minha concepcaõ eu vou logo e naõ preciso mais investir em nada aqui na terra, so deixar muito amor a quem vai ficar e fazendo coisas boas pra ter o merecimento de Deus pra que posso ir logo.

A não publique meu nome nessa pergunta.

Resposta:

Querida irmã,

a relação sexual ocorre somente no astral inferior, os espíritos que já se conscientizaram da sua situação espiritual demonstram seu amor e carinho de formas diferentes. Um olhar terno, um ato altruísta, o carinho, a paciência, são infinitas as formas de demostrar o amor.

Aconselho a você parar de chamar essa pessoa, pois ela pode estar obsediando-a porque você não para de pensar nela.

Vá a um centro espírita sério e inicie um tratamento espiritual, você também pode participar do nosso tratamento espiritua a distância, mas não deixe de procurar um centro espírita para ser auxiliada.


Assunto: desligamento Data : 27/03/2011
Pergunta:

Não consigo parar de sofrer pelo meu filho sinto muita saudade dele sinto falta dele ele era um filho maravilhoso lutador tinha apenas 15 anos quando partil por doença aceitava tudo com calma sem questionar nada mas a minha ligação com ele é muito forte quero saber tudo como é do outro lado para imaginar tudo oque ele deve estar fazendo foi nisso que me peguei para suportar tudo isso agreditar que ele esta vivo em outro lugar me esperando.

Resposta:

Olá,

se você quer aprender sobre o mundo espiritual procure um centro espírita para assistir as palestras e frequentar os grupos de estudo.

Leia também O Livro dos Espíritos de Allan Kardec, nele você encontrará muitas respostas que procura.

O livro Violetas na Janela também responderá algumas perguntas.

No centro espírita poderão aconselhar mais leituras para se aprofundar mais no conceito, mas lembre-se que todos temos um tempo para encarnação e somente após o término desse tempo podemos retornar ao plano espiritual para reencontrar os entes queridos. Aqueles que se suicidam para reencontrar os entes queridos acabam por ficar isolados e sem contato algum. Para esse tema aconselho a leitura da série de artigos que publicamos sobre Suicídio.


Assunto: MORTE DE UM AMIGO Data : 12/05/2011
Pergunta:

meu amigo sergio luiz pamplona filho, 29 anos, faleceu dia 07/05/2011, as 19:00 hs, ele estava alcoolizado e em alta velocidade qdo sua moto bateu de frente c uma outra, o capacete nao estava preso e voou longe, na queda ele teve traumatismo craniano e hemorragia severa. desde q recebi a noticia do seu falecimento nao consigo ficar em paz, acredito muito em deus, mas estou aflita pois penso q ele nao esta bem, ele estava bebendo demais de uns tempos p ca, ainda tentei aconselhar p q mudasse de atitude mas infelizmente foi em vão. estou muito triste, quero saber se ele esta sofrendo e o q posso fazer p ajuda-lo. muito obrigada

Resposta:

Olá,

leia nossa série de artigos sobre desencarnação.

Ore por ele, mas não fique o chamando e perguntando porque ele foi? isso além de gerar desequilíbrio em ambos pode atraí-lo para perto de você criando um ambiente propício para obsessão.