A Arte e o Espírito    (O Julgamento)
23ª Parte - Antônio e a Doença de Mariângela
por Jorge Queiroz

 

JUIZ Doutora advogada, a testemunha é sua.
ADVOGADA (Olhando fixamente e com carinho para Paulo, dando as costas para a testemunha) - Sim, meritíssimo.
JUIZ ( Insistindo ) - Dra. Advogada.
ADVOGADA (Virando-se para os lados e falando baixo:) “Preciso de ajuda, Mariana se você existe mesmo e está me ouvindo, ilumine o meu pensamento para que eu possa defender esse homem”.
(Mariana impõe as mãos sobre Luisa e uma luz forte ilumina a advogada).
JUIZ A Doutora está se sentido bem?
ADVOGADA (Respira fundo depois de receber mais energia vinda com a luz) Seu Antônio, o senhor poderia nos dizer qual era a doença da sua filha?
ANTÔNIO Ela tinha uma infecção intestinal.
ADVOGADA Mais alguma outra doença?
ANTÔNIO Ela estava fraca e pegou também uma pneumonia.
ADVOGADA Infecção nos intestinos, pneumonia, mais alguma enfermidade?
ANTÔNIO

Ela estava também com alguma alergia, com pequenas feridas no corpo.

ADVOGADA (Com uns papéis na mão) Senhor Antônio, eu queria que o senhor soubesse que estou aqui com o atestado de óbito da sua filha e também com a ficha médica do hospital público onde ela se tratava. Aqui está registrado que a sua filha era H.I.V. positivo, ela era portadora do vírus da AIDS.Não é isso mesmo?
  (O público reage).
JUIZ Silêncio! Silêncio!
PROMOTOR

Eu protesto!

JUIZ Protesto indeferido, continue doutora.
ADVOGADA (Falando para os jurados)... Isso mesmo, AIDS... Uma doença que ataca o sistema imunológico das pessoas, podendo até por causa de um pequeno resfriado, levar um ser humano à morte. (Falando para Antônio) Não é verdade que a sua filhinha Mariângela era portadora de AIDS?
ANTÔNIO

(Falando baixo) Sim, é verdade!

ADVOGADA Eu sei que é doloroso, mas gostaria que o senhor falasse mais alto. Não é fato que a sua filha era H.I.V. positivo, portadora da AIDS?
ANTÔNIO (Falando alto) É! Mas... Ele disse que ia curá-la!
ADVOGADA Responda apenas às perguntas, por favor! O senhor tem idéia de como a sua filha foi contaminada?
PROMOTOR Eu protesto! Não é relevante ao processo como a menina foi contaminada.
JUIZ Eu protesto! Não é relevante ao processo como a menina foi contaminada.
ADVOGADA Meritíssimo, por favor, permita-me conduzir o interrogatório do meu modo, eu poderei provar que a minha pergunta é pertinente ao processo.
JUIZ

Protesto indeferido, a testemunha deve responder.

ANTÔNIO Não... Não sei, talvez por uma transfusão de sangue (Nervoso). Não sei... Não sei...
ADVOGADA Queria lembrar-lhe que perjúrio é crime. Senhor Antônio, o senhor poderia nos dizer se mais alguém na sua família é portador do vírus H.I.V.?
ANTÔNIO

(Falando baixo) Sim, é verdade!

PROMOTOR Protesto! Estamos julgando o assassinato de uma menina, não importa se outras pessoas estão infectadas.
JUIZ A testemunha deve responder.
ADVOGADA Mais alguém na sua família é portadora de AIDS? (Antônio não responde, a advogada olha para o juiz que o repreende com o olhar)
ANTÔNIO

(Descontrolado) Não! Não! Não!


Perguntas Respondidas