A Arte e o Espírito    (O Julgamento)
18ª Parte - Cirurgias Espirituais. A Acusação.
por Jorge Queiroz

 

PROMOTOR Eu chamo o Dr. Rafael Costa de Souza.
  (Dr. Rafael entra e senta-se na cadeira de testemunha)
PROMOTOR Com a permissão do Meritíssimo senhor juiz vamos projetar algumas imagens colhidas por uma equipe de reportagens que acompanhando o atendimento “médico” do senhor Paulo dos Santos, flagrou-o exercendo a medicina ilegalmente, cometendo verdadeiras barbaridades científicas. O doutor Rafael como médico experiente que é, fará os comentários se for preciso, porque as imagens que os senhores vão ver agora, são tão contundentes que talvez não seja preciso falar mais nada.
  (Promotor faz um sinal e a luz do set diminui e sobre uma tela "plana" o VT começa. São imagens de vários paranormais fazendo cirurgias. A edição não mostra o rosto, apenas suas mãos e o tratamento em si, para que pareça que é Paulo que faz as cirurgias).
DR. RAFAEL
(Falando durante o VT) Como os senhores podem observar, esse homem sem preparo acadêmico, na sua loucura se arvora em médico ou quem sabe em Deus, não tendo o menor cuidado quanto à assepsia. Deixando uma porta aberta para as infecções. Não se preocupa em anestesiar seus pacientes, ou melhor, suas “vítimas” e pior do que isso, não toma os cuidados necessários para assegurar a cicatrização dos ferimentos provocados por ele.
Na busca de projeção pessoal, arrisca a vida de seres humanos completamente entorpecidos pelas crendices e rituais satânicos, abandonando a verdadeira ciência dos homens, a medicina.
  (Outros comentários do Dr. Rafael são feitos a partir da edição final das imagens das cirurgias mediúnicas. Esse vídeo deverá ter aproximadamente 3 minutos no máximo. Após o término do VT o promotor fala).
PROMOTOR Como os senhores jurados viram, não é preciso dizer mais nada! Essas imagens horripilantes nos dão uma pequena prova da insanidade desse homem que ao querer ser médico ou Deus sei lá, levou à morte uma pequenina criança de 3 anos. É por isso, senhores jurados, que peço para esse homem a PENA MÁXIMA!
  (A platéia reage. O juiz intervém rapidamente).
PROMOTOR Senhores jurados peço para esse homem PRISÃO PERPÉTUA.
JUIZ Silêncio! Silêncio! Já fiz uma concessão especial em permitir a exibição desse vídeo no tribunal, mas não posso permitir que o restante vire uma sala de cinema! Não permito comentários no ambiente! O senhor terminou, senhor promotor?
PROMOTOR Sim meritíssimo, já terminei.
JUIZ

(Para a testemunha) O senhor pode se retirar, doutor.

ADVOGADA (Intervindo) Meritíssimo, ainda não inquiri a testemunha!
JUIZ (Desconsertado) Sim... Sim... Mas é claro, doutora... É a sua vez... Pode fazer suas perguntas.
ADVOGADA Pelo que posso observar, todos ficaram muito impressionados com as imagens que vimos aqui, até mesmo o senhor juiz.
JUIZ Doutora não admito esse tipo de comentário!
ADVOGADA Perdão, meritíssimo.


Perguntas Respondidas