Páginas de Luz    (A Vida e as Cores)
Introdução
por Narcí Castro de Souza

Iniciamos nossos encontros através desta coluna, falando da importância das cores para a harmonia de nossa saúde.

Falar sobre as cores é falar sobre a Vida. Não se pode dissociar uma da outra.

Para termos saúde deve haver em nossa natureza equilíbrio cromático, seja a nível físico, emocional ou mental. Vejamos:

Nosso corpo para obter energia que alimenta sua vida, deve ingerir alimentos sólidos, líquidos, gasosos e etéricos. Se formos privados dos sólidos, sobreviveremos algum tempo, se formos privados de ingerir líquidos, nosso prazo de sobrevida é bem menor, não conseguiremos sobreviver mais que poucos minutos sem ar e sem o alimento etérico, que alguns denominam de energia vital ou bioenergia, outros de orgônio, outros de energia Ki e ainda outros de Prana, nosso tempo de sobrevida é de poucos segundos. Avaliamos, assim, que o alimento mais importante para a nossa vida é aquele que nossos sentidos físicos não conseguem perceber: o Prana.

Recebemos principalmente esta energia do Sol. Ao ser irradiado pelo sol, como conseqüência da vida deste astro, ele é atraído pelas menores partículas que se encontram disseminadas no espaço físico da Terra – os átomos primordiais – estes átomos são de sete tipos diferentes. O átomo que absorve o Prana fica dotado de uma força de atração sêxtupla, atraindo assim, seis outros átomos. É então formada uma molécula designada de glóbulo da vitalidade. O Prana então se decompõe em sete cores, e cada átomo se apropria de uma modalidade prânica diferente, ou seja, o átomo, que primeiro atraiu o Prana, retém a vibração rósea, cada um dos outros retém sucessivamente, a vermelha, a alaranjada, a amarela, a verde, a anil, e a violeta. Este glóbulo é absorvido por toda a natureza, inclusive pelo homem; no corpo humano esses átomos formam correntes de energia que se dirigem aos diversos sistemas e os vitalizam.

Importante, para se compreender os mecanismos que presidem o processo da absorção prânica, é conhecer a contra parte etérica de nosso corpo físico e seus diversos centros energéticos – os chakras – poderemos assim começar a compreender o porquê da necessidade de determinadas cores para a manutenção da saúde de nosso corpo.

Todas as vibrações de acordo com sua freqüência resultam em uma determinada cor, cada cor produz um determinado efeito. Interessante saber que nossas emoções, em decorrência de sua qualidade vibratória, se expressam em nossas auras através de cores. Quando sentimos emoções elevadas, as cores são benéficas e atuam primeiramente em nós mesmos e secundariamente no ambiente e nas pessoas que estejam próximas de nós. Emoções pesadas, hostis, produzem cores agressivas que prejudicam nossos sistemas físicos, conturbam a atmosfera a nossa volta e prejudicam as pessoas que estejam conosco.

O tratamento através da cor, a cromoterapia, auxilia tanto a saúde física, quanto a emocional e a mental.

A cromoterapia pode ser ministrada a través de focos de luz colorida. Por vidraças coloridas, através das quais a luz do Sol atravesse, de filtros de papel celofane colocado diretamente sobre a pele exposta ao Sol, de água solarizada em recipientes coloridos, de irradiação mental e também com o auxílio de cristais coloridos.

No próximo encontro, nesta coluna, discorreremos sobre os chakras e suas funções vitalizadoras, através das cores, sobre os diversos sistemas do corpo físico.

Até lá, e lembrem: emoções harmoniosas produzem cores que favorecem nossa saúde, e impregnam o ambiente que nos encontramos com energias positivas!


Perguntas Respondidas