Em Busca da Verdade    (Reencarnação, Gravidez e Aborto)
Aborto
por Gustavo Martins

| Aborto | Pílula do Dia Seguinte | Consequências |
| Resgatando o Débito | Células Tronco | Estupro |
| Conclusão |
Clique aqui para acessar o artigo sobre Reencarnação
Clique aqui para acessar o artigo sobre Gravidez

Aborto

O aborto é um ato criminoso, é um assassinato covarde contra um ser ainda indefeso, que está simplesmente pedindo abrigo e compaixão para continuar o seu ciclo evolutivo. Não existem desculpas ou argumentos para justificar esse erro, salvo os casos em que ocorre pelo desequilíbrio do espírito reencarnante, que não possui condições ou merecimento de renascer.
Oxalá chegará o dia em que os irmãos da Terra entenderão o verdadeiro valor da vida, recebendo de coração aberto os irmãos que voltam a luta, rumo a redenção.

Falamos inicialmente sobre a reencarnação para que os leitores pudessem refletir sobre a grandiosidade da vida e o esforço que é realizado pela espiritualidade durante a gravidez.

O aborto é uma infração grave diante das leis divinas e as conseqüência desse ato são sempre desastrosas.

358. Constitui crime a provocação do aborto, em qualquer período da gestação?
“Há crime sempre que transgredis a lei de Deus. Uma mãe, ou quem quer que seja, cometerá crime sempre que tirar a vida a uma criança antes do seu nascimento, por isso que impede uma alma de passar pelas provas a que serviria de instrumento o corpo que se estava formando.”

Allan Kardec – O Livro dos Espíritos

Vamos citar alguns exemplos de fatores que levam ao Aborto:

- Marginalização da mulher – Embora a sociedade esteja bem mais flexível sobre o assunto mãe solteira, ainda existe preconceito em algumas famílias que ameaçam até o abandono. Embora seja uma situação desagradável, não é motivo para realização do aborto, e se o ato for consumado todos que participaram terão sua cota de responsabilidade, embora a maior delas seja da mãe, que não cumpriu o dever sagrado que lhe foi confiado.

- Condições Financeiras – São inúmeros os casos em que os pais são auxiliados a prover materialmente o filho. quantas vezes um emprego aparece, algum familiar ajuda, etc, Deus, que é infinito em sua abundancia, a ninguém desampara.
Muitas vezes o filho possui um bom Karma e por isso atrairá para a família diversas oportunidades de crescimento material, espiritual ou ambos. Tenha certeza – Deus não vai desampará-los na criação dos filhos. Se, em ultimo caso, a família não puder alimentar e amparar o filho então que ele seja encaminhado à instituições até que a situação seja amenizada.

- Posição Social – Muitas mulheres que acompanham homens importantes têm medo de perder o destaque e o seu companheiro por causa da gravidez. É lamentável se a mulher optar sozinha ou com a concordância do companheiro no assassinato do rebento, porque ambos assumirão um grande debito com a justiça divina. Devido a brecha espiritual que esse ato provoca, muitas mulheres acabam perdendo o companheiro e a razão, pois a culpa cria brechas para a obsessão do espírito abortado ou outros que se aproximam(falaremos mais sobre esse assunto).

- Aproveitar a Vida – Reflitam... Exterminar a oportunidade da volta de um espírito por um motivo egoísta com esse..... Pode ter certeza que com o filho você aproveitaria a vida de forma diferente, com muito mais alegria. A culpa o seguirá como uma sombra durante toda a sua “proveitosa” vida.

Se não descambam para a delinqüência do aborto, na maioria das vezes são trabalhadores desprevenidos que preferem poupar o suor, na fome de reconforto imediatista. Infelizmente para eles, porém, apenas adiam realizações sublimes, às quais deverão fatalmente voltar, porque há tarefas e lutas em família que representam o preço inevitável de nossa regeneração. Desfrutam a existência, procurando inutilmente enganar a si mesmos, no entanto, o tempo espera-os, inexorável, dando-lhes a conhecer que a redenção nos pede esforço máximo. Recusando acolhimento a novos filhinhos, quase sempre programados para eles antes da reencarnação, emaranham-se nas futilidades e preconceitos das experiências de subnível, para acordarem, depois do túmulo, sentindo frio no coração...

Ação e Reação – Chco Xavier

- Abandono do Companheiro – Muitas mulheres têm medo de criar seus filhos sozinhas, contudo, em quantos casos temos nos filhos os companheiros para as noites de solidão ou o auxilio nos momentos mais difíceis.
Para muitas mães os filhos são a força motriz para vencerem na vida, superarem seus medos e não desistir. A mulher que se torna mãe transforma-se para nunca mais ser a mesma, pois de forma inexplicável o Criador toca o seu coração.

- Risco de Vida para a Mãe – Deixamos esta resposta para Allan Kardec:

359. Dado o caso que o nascimento da criança pusesse em perigo a vida da mãe dela, haverá crime em sacrificar-se a primeira para salvar a segunda?
“Preferível é se sacrifique o ser que ainda não existe a sacrificar-se o que já existe.”

Um instrutor espiritual nos fala um pouco mais sobre o aborto no livro Missionários da Luz

Em razão disto – prosseguiu ele –, o aborto muito raramente se verifica obedecendo a causas de nossa esfera de ação. Em regra geral, origina-se do recuo inesperado dos pais terrestres, diante das sagradas obrigações assumidas ou aos excessos de leviandade e inconsciência criminosa das mães, menos preparadas na responsabilidade e na compreensão para este ministério divino. Entretanto, mesmo aí, encontrando vasos maternais menos dignos, tudo fazemos, por nossa vez, para opor-lhes resistência aos projetos de fuga ao dever, quando essa fuga representa mero capricho da irresponsabilidade, sem qualquer base em programas edificantes.
Claro, porém, que a nossa interferência no assunto, em se tratando de luta aberta contra nossos amigos reencarnados, transitoriamente esquecidos da obrigação a cumprir, tem igualmente os seus limites. Se os interessados, retrocedendo nas decisões espirituais, perseveram sistematicamente contra nós, somos compelidos a deixá-los entregues à própria sorte. Daí, a razão de existirem muitos casais humanos, absolutamente sem a coroa dos filhos, visto que anularam as próprias faculdades geradoras. Quando não procederam de semelhante modo no presente, sequiosos de satisfação egoística, agiram assim, no passado, determinando sérias anomalias na organização psíquica que lhes é peculiar. Neste último caso, experimentam dolorosos períodos de solidão e sede afetiva, até que refaçam, dignamente, o patrimônio de veneração que todos nós devemos às leis de Deus

O abandono do filho que acaba de nascer é menos grave diante das leis espirituais que o aborto, contudo, isso não se aplica nos casos de desencarne por falta de cuidados. Não estamos estimulando esse ato, que também é abominável, mas, devemos desestimular de qualquer forma o ato homicida do Aborto.

O Aborto pode ser realizado de duas formas distintas: Consciente e Inconsciente.



Aborto Consciente

O aborto consciente é o mais agressivo, a mãe intervém de forma deliberada para exterminar o filho, pode ser realizado através de remédios, médicos inescrupulosos ou outras formas

No aborto consciente o espírito recebe um choque quando desligado abruptamente da mãe, é muito parecido com os desencarnes em tragédias. Nesses casos o espírito volta a forma que tinha antes de tentar reencarnar e na maioria das vezes têm alguma consciência do que está acontecendo.

Se o espírito já tiver alcançado um pouco de compreensão e perdão no coração então ele não se voltará contra a mãe que o expulsou, agora, se ele decidir se vingar (é o que ocorre na maioria das vezes) então.... temos um grandioso problema. Como será visto no tópico sobre as conseqüências do aborto, a mãe abre uma janela para a influencia do astral inferior, principalmente para o espírito que ele expulsou.

Não são raros os casos de possessão pelo espírito abortado, o remorso e culpa pelo ato cometido quebram as barreiras de proteção espiritual e deixam livro o caminho para os que desejam fazer o mal.

A loucura, doenças incuráveis, comprometimentos físicos e até o desencarne podem ter como causa o Aborto Consciente.



Aborto Inconsciente

O aborto inconsciente acontece pelo desregramento ou rejeição da mãe, que pode se negar a receber o filho e criar um ambiente inapropriado para sua formação.

Temos casos de mulheres que não seguem as restrições necessárias para uma gravidez saudável e acabam expelindo os filhos, mortos pela irresponsabilidade e egoísmo.

No livro Evolução em Dois Mundos (Chico Xavier) André Luiz nos fala sobre o alcance que a rejeição da mãe pode acarretar:

Em contrário, há, por exemplo, os casos em que a mulher, por recusa deliberada à gravidez de que já se acha possuída, expulsa a entidade reencarnante nas primeiras semanas de gestação, desarticulando os processos celulares da constituição fetal e adquirindo, por semelhante atitude, constrangedora dívida ante o Destino.

Quando ocorre o aborto insconsciente as equipes reencarnacionistas recolhem o filho rejeitado, ele é levado para um hospital onde receberá o devido tratamento, contudo, nada impede que ao despertar sinta um ódio descontrolado e acabe obsediando a mãe.

As duas formas são consideradas como assassinato pela justiça divina e estão sujeitas as conseqüências que falaremos no próximo tópico.

No livro Missionários da Luz temos um exemplo de aborto inconsciente:

– Isto mesmo – prosseguiu o interlocutor –. Enquanto os desequilíbrios se localizam na esfera paternal ou procedem da influência de entidades malignas, simplesmente, há recursos a interpor; no entanto, se a desarmonia parte do campo materno, é muito difícil estabelecer proteção eficiente. A pobre criatura, por duas vezes sucessivas, provocou o aborto inconsciente pelo excesso de
leviandades e, atualmente, será vítima das próprias irreflexões pela terceira vez, segundo parece. Debalde temos oferecido o socorro de que podemos dispor. A infeliz deixou-se empolgar pela idéia de gozar a vida e irmanou-se a entidades desencarnadas da pior espécie, que, para acentuar os seus planos sombrios, separaram- na do próprio companheiro, ansiosas por lhe precipitarem o coração na esfera das emoções baixas.
..
– Infelizmente – disse um deles ao chefe – a situação é muito grave. É impossível prosseguir em nosso esforço de assistência, com o êxito desejável. Nossa irmã afunda-se, cada vez mais, nos desequilíbrios destruidores. Unindo-se voluntariamente – e indicou as entidades viciosas que a cercavam – a estes adversários infelizes, entrega-se, agora, a prazeres e abusos de toda sorte.
Seus desvios sexuais, nos últimos dias, têm sido lastimáveis, e enorme é a quantidade de alcoólicos, aparentemente inofensivos, de que tem feito consumo sistemático. Aliados semelhantes distúrbios às vibrações desordenadas do plano mental, vemos que a posição de Volpini é insustentável, não obstante nossos melhores esforços de socorro.

No mesmo livro nos é relatado o processo de desligamento do espírito reencarnante:

Apuleio aproximou-se e retirou Volpini, que a ela se abraçava como criança semiconsciente. Em seguida, vi-o aplicar passes magnéticos em toda a região uterina, empregando infinito cuidado.
Retomando Volpini, que confiara às minhas mãos, para poder
operar com eficiência, falou-me, calmo Retiramo-nos conduzindo o companheiro, prematuramente desligado, a uma organização socorrista:

 

 


A Pílula do Dia Seguinte

Conforme foi explicado nos tópicos sobre Reencarnação, o espírito é ligado ao óvulo antes da fecundação, ou seja, no momento que ocorre a fecundação já existe um espírito ligado magneticamente à mãe.

A pílula do dia seguinte, quando ingerida e atuando sobre o óvulo fecundado é um aborto CONSCIENTE, pois já existia um espírito ligado à mãe.

 


Conseqüências do Aborto

357. Que conseqüências tem para o Espírito o aborto?
“É uma existência nulificada e que ele terá de recomeçar.”

Allan Kardec – O Livro dos Espíritos

O aborto não cria uma brecha espiritual para o contato com a espiritualidade inferior, ele cria uma JANELA!!!

Não podemos afirmar que todas as pessoas que praticam o aborto ficam obsediadas, contudo, ela se torna extremamente suscetível a receber a aproximação de um dos seguintes grupos do astral inferior:

• Grupos de Obsessores que se acham no direito de fazer justiça. No livro Ação e Reação (Chico Xavier) temos um exemplo do que esses irmãos podem fazer com espíritos que baixam sua vibração por causa da culpa e entram na sua faixa vibratória.

• O espírito abortado. Se o espírito que foi expulso do ventre da mãe não consegue perdoá-la a situação fica muito complicada, pois o canal entre esse espírito e a mãe é livre. Nesses casos temos quase sempre a obsessão complexa, que podem levar a possessão, loucura e até ao desencarne.

• O espírito abortado também pode se vincular aos grupos de espíritos do astral inferior especializados na arte da obsessão;

Em alguns casos é permitida a intercessão da espiritualidade, contudo, nem sempre é possível a reversão da obsessão. Em alguns somente o tempo pode amenizar o ódio e permitir que as correntes do amor voltem a soprar nesses corações.

A mulher que pratica o aborto cria dois débitos espirituais, o primeiro é com o espírito que ela assassinou no seu útero e o segundo é com a justiça divina, pois não honrou o sublime compromisso que Deus lhe solicitou.

Não basta ter outro filho para livrar a consciência do erro cometido, pois isso só ajusta as contas com aquele que você rejeitou, ainda existe o débito com a justiça divina, que poderá ser quitado através de cotas de amor e misericórdia ou dor e sofrimento.

Caberá ao espírito decidir qual caminho deseja percorrer: batalhando pela melhora interior, lutando contra suas tendências inferiores e buscando ajudar a todos estará escolhendo o caminho do amor, enquanto a preguiça, inércia e a repetição dos erros levam o espírito à dor, onde “Haverá choro e ranger de dentes...”
Não imaginem que abortar agora e ter o filho depois é considerado uma troca justa aos olhos de Deus, porque não é!!! IRMÃOS!!! Não é assim que funciona!!! Não somos nós que escolhemos a hora de ser pais, podemos influenciar no momento mais adequado, mas a volta do espírito é a expressão da vontade do Criador, que deseja que seu querido filho cresça e dilate seus olhos para a eternidade.

Retiramos vários trechos dos livros de André Luiz e Narci Castro de Souza sobre as inúmeras conseqüências do aborto, contudo, todas elas têm a culpa (consciente ou inconsciente) como força motriz do sofrimento. Ela acompanhará o espírito materno até o último suspiro na Terra e também após a morte, onde o ato do aborto será repetido em sua tela mental, até que se arrependa e alcance o nível vibratório mínimo para ser resgatada pelas equipes espirituais responsáveis..

Quando falamos de culpa consciente ou inconsciente estamos falando sobre espíritos mais ou menos conscientes do erro cometido, as mães que são espíritos mais sensíveis e evoluídos têm maior consciência do erro, já as menos evoluídas são menos conscientes. O peso da culpa acompanha as duas, na verdade a VIBRACAO da culpa acompanha as duas, criando uma psicosfera propicia para relembrar inúmeras vezes o erro cometido e permitir a aproximação de espíritos do astral inferior.

Um bom exemplo de onde pode chegar a obsessão que o espírito materno sofre quando o filho não a perdoa pode ser encontrado no livro Perguntas e Respostas Sobre a Vida (Narci Castro de Souza). O espírito obsediou as pessoas que lhe eram próximas e através de uma hemorragia interna foi a enfraquecendo até quase a morte. Através de uma prece sincera a mãe solicitou ao espírito uma nova oportunidade, tentando explicar o motivo que a levou ao ato extremo, conseguindo convencer o espírito a situação foi revertida.

No livro Nos Domínios da Mediunidade o instrutor espiritual mostra um exemplo do que pode acontecer com as mães que abortam:

Você examina o assunto com acertado critério. Nossa amiga, na equipe doméstica, é um enigma para os familiares. Moça de notável procedência, possui belas aquisições culturais, entretanto, sempre se comporta de modo chocante, evidenciando desequilíbrios ocultos. A princípio, compareciam a insatisfação e a melancolia ocasionando crises de nervos e distúrbios circulatórios.
Doente, desde a puberdade, em vão opinaram clínicos de renome
sobre o caso, até que um cirurgião, crendo-a prejudicada pó desarmonias da tireóide, submeteu-a a delicada intervenção, da qual saiu com seus padecimentos inalterados. Logo após, conheceu o cavalheiro sob nossa observação, que a desposou convencido de que o matrimônio lhe constituiria renovação salutar. Ao invés disso, porém, a situação se lhe agravou. A gravidez cedo se verificou, consoante a planificação de serviço, traçada na Vida Superior. Nossa irmã doente deveria receber o perseguidor nos braços maternos, afagando-lhe a transformação e auxiliando-lhe a aquisição de novo destino, mas, sentindo-lhe a aproximação, recolheu-se a insopitável temor, adiando o trabalho que lhe compete.
Impermeável às sugestões da própria alma, provocou o aborto com rebeldia e violência. Essa frustração foi a brecha que favoreceu mais ampla influência do adversário invisível no círculo conjugal. A pobre criatura passou a sofrer multiplicadas crises histéricas, com súbita aversão pelo marido. Principalmente à noite, é colhida, de assalto, por fenômenos de sufocação e de angústia, amargurando o consorte desolado. Médicos foram trazidos, no entanto os hipnóticos foram empregados em vão... Em franca demência, a enferma foi conduzida à casa de saúde, todavia, a insulina e o electrochoque não lhe solucionaram o problema.
Presentemente, atravessa um período de repouso em família, deliberando o esposo experimentar o concurso do Espiritismo. Enquanto Silva e Clementino procuravam sossegar a médium e o comunicante, reunidos numa simbiose de extremo desespero,
Hilário e eu continuávamos famintos de esclarecimento maior.
– E se ela conseguisse nova maternidade? – inquiriu meu colega, estudioso.
– Sim – concordou Áulus, convicto –, semelhante reconquista ser-lhe-á uma bênção, contudo, pela trama de sentimentos contraditórios em que se emaranhou, na fuga das obrigações que lhe cabem, não pode receber, de pronto, esse privilégio.

Ação e Reação (Chico Xavier)

E o aborto provocado, Assistente? - inquiriu Hilário, sumamente interessado.
- Diante da circunspecção com que a sua palavra reveste o assunto, é de se presumir seja ele falta grave...
- Falta grave?! Será melhor dizer doloroso crime. Arrancar uma criança ao
materno seio é infanticídio confesso. A mulher que o promove ou que venha a
coonestar semelhante delito é constrangida, por leis irrevogáveis, a sofrer alterações deprimentes no centro genésico de sua alma, predispondo-se geralmente a dolorosas enfermidades, quais sejam a metrite, o vaginismo, a metralgia, o enfarte uterino, a tumoração cancerosa, flagelos esses com os quais, muita vez, desencarna, demandando o Além para responder, perante a Justiça Divina, pelo crime praticado. É, então, que se reconhece rediviva, mas doente e infeliz, porque, pela incessante recapitulação mental do atovabominável, através do remorso, reterá por tempo longo a degenerescência das forças genitais.

 

Evolução em Dois Mundos (Chico Xavier)

Reconhecendo-se que os crimes do aborto provocada criminosamente surgem, em esmagadora maioria, nas classes mais responsáveis da comunidade terrestre, como identificar o trabalho expiatório que lhes diz respeito, se passam quase totalmente despercebidas da justiça humana?
— Temos no Plano Terrestre cada povo com o seu código penal apropriado à evolução em que se encontra; mas, considerando o Universo em sua totalidade como Reino Divino, vamos encontrar o Bem do Criador para todas as criaturas, como Lei básica, cujas transgressões deliberadas são corrigidas no próprio infrator, com o objetivo natural de conseguir-se, em cada círculo de trabalho no Campo Cósmico, o máximo de equilíbrio o com respeito máximo aos direitos alheios, dentro da mínima pena.
Atendendo-se, no entanto, a que a Justiça Perfeita se eleva, indefectível, sobre o Perfeito Amor, no hausto de Deus “em nos que movemos e existimos”, toda reparação, perante a Lei básica a que nos reportamos, se realiza em termos de vida eterna e não segundo a vida fragmentária que conhecemos na encarnação humana, porqüanto, uma existência pode estar repleta de acertos e desacertos, méritos e deméritos e a Misericórdia do Senhor preceitua, não que o delinqüente seja flagelado, com extensão indiscriminada de dor expiatória, o que seria volúpia de castigar nos tribunais do destino, invariavelmente regidos pela Eqüidade Soberana, mas sim que o mal seja suprimido de suas vítimas, com a possível redução do sofrimento.
Desse modo, segundo o princípio universal do Direito Cósmico a expressar-se, claro, no ensinamento de Jesus que manda conferir “a cada um de acordo com as próprias obras”, arquivamos em nós as raízes do mal que acalentamos para extirpá-las à custa do esforço próprio, em companhia daqueles que se no afinem à faixa de culpa, com os quais, perante a Justiça Eterna, os nossos débitos jazem associados.
Em face de semelhantes fundamentos, certa romagem na carne, entremeada de créditos e dívidas, pode terminar com aparências de regularidade irrepreensível para a alma que desencarna, sob o apreço dos que lhe comungam a experiência, seguindo-se de outra em que essa mesma criatura assuma a empreitada do resgate próprio, suportando nos ombros as conseqüências das culpas contraídas diante de Deus e de si mesma, a fim de reabilitar-se ante a Harmonia Divina, caminhando, assim, transitoriamente, ao lado de Espíritos incursos em regeneração da mesma espécie.
É dessa forma que a mulher e o homem, acumpliciados nas ocorrências do aborto delituoso, mas principalmente a mulher, cujo grau de responsabilidade nas faltas dessa natureza é muito maior, à frente da vida que ela prometeu honrar com nobreza, na maternidade sublime, desajustam as energias psicossomáticas, com mais penetrante desequilíbrio do centro genésico, implantando nos tecidos da própria alma a sementeira de males que frutescerão, mais tarde, em regime de produção a tempo certo.
Isso ocorre não somente porque o remorso se lhes entranhe no ser, à feição de víbora magnética, mas também porque assimilam, inevitavelmente, as vibrações de angústia e desespero e, por vezes, de revolta e vingança dos Espíritos que a Lei lhes reservara para filhos do próprio sangue, na obra de restauração do destino.
No homem, o resultado dessas ações aparece, quase sempre, em existência imediata àquela na qual se envolveu em compromissos desse jaez, na forma de moléstias testiculares, disendocrinias diversas, distúrbios mentais, com evidente obsessão por parte de forças invisíveis emanadas de entidades retardatárias que ainda encontram dificuldade para exculpar-lhes a deserção.
Nas mulheres, as derivações surgem extremamente mais graves. O aborto provocado, sem necessidade terapêutica, revela-se matematicamente seguido por choques traumáticos no corpo espiritual, tantas vezes quantas se repetir o delito de lesa-maternidade, mergulhando as mulheres que o perpetram em angústias indefiníveis, além da morte, de vez que, por mais extensas se lhes façam as gratificações e os obséquios dos Espíritos Amigos e Benfeitores que lhes recordam as qualidades elogiáveis, mais se sentem diminuídas moralmente em si mesmas, com o centro genésico desordenado e infeliz, assim como alguém indebitamente admitido num festim brilhante, carregando uma chaga que a todo instante se denuncia.
Dessarte, ressurgem na vida física, externando gradativamente, na tessitura celular de que se revestem, a disfunção que podemos nomear como sendo a miopraxia do centro genésico atonizado, padecendo, logo que reconduzidas ao curso da maternidade terrestre, as toxemias da gestação. Dilapidado o equilíbrio do centro referido, as células ciliadas, mucíparas e inter-calares não dispõem da força precisa na mucosa tubária para a condução do óvulo na trajetória endossalpingeana, nem para alimentá-lo no impulso da migração por deficiência hormonal do ovário, determinando não apenas os fenômenos da prenhez ectópica ou localização heterotópica do ovo, mas também certas síndromes hemorrágicos de suma importância, decorrentes da nidação do ovo fora do endométrio ortotópico, ainda mesmo quando já esteja acomodado na concha uterina, trazendo habitualmente os embaraços da placentação baixa ou a placenta prévia hemorragipara que constituem, na parturição, verdadeiro suplício para as mulheres portadoras do órgão germinal em desajuste.
Enqüadradas na arritmia do centro genésico, outras alterações orgânicas aparecem, flagelando a vida feminina como sejam o descolamento da placenta eutópica, por hiperatividade histolítica da vilosidade corial; a hipocinesia uterina, favorecendo a germicultura do estreptococo ou do gonococo, depois das crises endometríticas puerperais; a salpingite tubercuksa; a degeneração cística do córto; a salpingooforite, em que o edema e o exsudato fibrinoso provocam a aderência das pregas da mucosa tubária, preparando campo propício às grandes inflamações anexiais, em que o ovário e a trompa experimentam a formação de tumores purulentos que os identificam no mesmo processo de desagregação; os síndromes circulatórios da gravidez aparentemente normal, quando a mulher, no pretérito, viciou também o centro cardíaco, em conseqüência do aborto calculado e seguido por disritmia das forças psicossomáticas que regulam o eixo elétrico do coração, ressentindo-se, como resultado, na nova encarnação e em pleno surto de gravidez, da miopraxia do aparelho cardiovascular, com aumento da carga plasmática na corrente sangüínea, por deficiência no orçamento hormonal, daí resultando graves problemas da cardiopatia conseqüente.
Temos ainda a considerar que a mulher sintonizada com os deveres da maternidade na primeira ou, às vezes, até na segunda gestação, quando descamba para o aborto criminoso, na geração dos filhos posteriores, inocula automaticamente no centro genésico e no centro esplênico do corpo espiritual as causas sutis de desequilíbrio recôndito, a se lhe evidenciarem na existência próxima pela vasta acumulação do antígeno que lhe imporá as divergências sangüíneas com que asfixia, gradativamente, através da hemólise, o rebento de amor que alberga carinhosamente no próprio seio, a partir da segunda ou terceira gestação, porque as enfermidades do corpo humano, como reflexos das depressões profundas da alma, ocorrem dentro de justos períodos etários.Além dos sintomas que abordamos em sintética digressão na etiopatogenia das moléstias do órgão genital da mulher, surpreenderemos largo capítulo a ponderar no campo nervoso, à face da hiperexcitação do centro cerebral, com inquietantes modificações da personalidade, a ralarem, muitas vezes, no martirológio da obsessão, devendo-se ainda salientar o caráter doloroso dos efeitos espirituais do aborto criminoso, para os ginecologistas e obstetras delinqüentes.

Perguntas e Respostas Sobre a Vida – Narcí Castro de Souza

Quais as conseqüências para quem pratica um aborto? – perguntou outro assistente.
Se o espírito que vê frustrada a sua possibilidade de reencarnar for um espírito de pouca evolução pode ficar muito revoltado com a recusa daquela que seria sua mãe e desenvolver um sentimento de ódio e vingança. Em decorrência do ato criminoso praticado pela mulher, ela fica carmicamente a mercê deste espírito. Esta vingança vai desde uma obsessão à tentativa de exterminar–lhe a vida. Sobre as conseqüências físicas, a mulher pode ficar estéril se houver um processo inflamatório grave. Se a prática do aborto for repetida, em vidas futuras esta mulher pode renascer estéril e sofrer a frustração de não conseguir gerar um filho. Também ao retornar ao mundo espiritual poderá ser assediada pelos espíritos que tenha rechaçado, sofrendo perseguições dos mesmos.Outra conseqüência para que valorize a vida, será receber em seu ventre um espírito que tenha cometido suicídio em vida anterior e, em decorrência do suicídio, é comum não conseguir ultrapassar a primeira infância, desencarnando nos primeiros anos de vida, e isto consistirá em experiência dolorosa mas redentora para esta mulher.

 



Os Cúmplices do Aborto

A maior culpada pelo aborto (consciente ou inconsciente) é a mãe, que tem a responsabilidade de ser o canal sagrado para a volta do espírito à carne.

Porém, enganam-se os que acham que ela é única que terá que acertar contas com a justiça divina, TODOS os que participaram incentivando ou se omitindo e permitiram que o ato se consumasse vão contrair débitos cármicos.
Podemos citar como cúmplices o companheiro que incentiva o crime, o irmão ou irmã que ajuda na decisão, o pai ou mãe que não tenta dissuadir a filha e, principalmente o médico ou responsável pelo aborto.

Existem exceções:

• Quando o aborto é necessário para preservar a vida da mãe.

• Algumas vezes o pai é OBRIGADO a levar a filha para fazer o aborto, pois se assim não fosse ela poderia se matar ou realizar um ato insano para abortar. O que imaginar para esse pai, que tudo tenta para dissuadi-la, mas se vê entre a possibilidade da filha exterminar a vida.

No livro Nosso Lar (Chico Xavier) temos um exemplo de uma aborteira no plano espiritual.

Esta mulher, por enquanto, não pode receber nosso socorro.
Trata-se de um dos mais fortes vampiros que tenho visto até hoje.
É preciso entregá-la à própria sorte.
Senti-me escandalizado. Não seria faltar aos deveres cristãos
abandonar aquela sofredora ao azar do caminho? Narcisa, que me
pareceu compartilhar da mesma impressão, adiantou-se suplicante:
- Mas, Irmão Paulo, não há um meio de acolhermos essa miserável
criatura nas Câmaras?
- Permitir essa providência - esclareceu ele -, seria trair minha
função de vigilante.
E indicando a mendiga que esperava a decisão, a gritar impaciente,
exclamou para a enfermeira:
- Já notou, Narcisa, alguma coisa além dos pontos negros?
Agora, era minha instrutora de serviço que respondia negativamente.
- Pois vejo mais - respondeu o Vigilante-Chefe.
Baixando o tom de voz recomendou:
- Conte as manchas pretas.
Narcisa fixou o olhar na infeliz e respondeu, após alguns instantes:
- Cinqüenta e oito.
O Irmão Paulo, com a paciência dos que sabem esclarecer com amor, explicou:
- Esses pontos escuros representam cinqüenta e oito crianças assassinadas ao nascerem. Em cada mancha vejo a imagem mental de uma criancinha aniquilada, umas por golpes esmagadores, outras por asfixia. Essa desventurada criatura foi profissional de ginecologia. A pretexto de aliviar consciências alheias, entregavase a crimes nefandos, explorando a infelicidade de jovens inexperientes.
A situação dela é pior que a dos suicidas e homicidas, que, por vezes, apresentam atenuantes de vulto.

 



Resgatando o Débito Contraído com o Aborto

Para melhorar a própria situação, que deve fazer a mulher que se reconhece, na atualidade, com dívidas no aborto provocado, antecipando-se, desde agora, no trabalho da sua própria melhoria moral, antes que a próxima existência lhe imponha as aflições regenerativas?
- Sabemos que é possível renovar o destino todos os dias.
Quem ontem abandonou os próprios filhos pode hoje afeiçoar-se aos filhos alheios, necessitados de carinho e abnegação.
O próprio Evangelho do Senhor, na palavra do Apóstolo Pedro, adverte-nos quanto à necessidade de cultivarmos ardente caridade uns para com os outros, porque a caridade cobre a multidão de nossos males

Evolução em Dois Mundos – Chico Xavier

Deus não é o carrasco impiedoso ou o justiceiro maquiavélico, embora não consigamos entender os motivos das dores, angustias e dificuldades que passamos, podem acreditar, existe uma lição, um aprendizado, uma reflexão, enfim, uma oportunidade de crescimento em cada desafio da vida.

É possível resgatar qualquer débito através do amor e da caridade, contudo, a preguiça e a acomodação espiritual fazem acordar, em algum momento, os gigantes internos, responsáveis pelo aprendizado espiritual.

Se um dia alguém realizou o Aborto ele poderá resgatar esse erro através do auxilio às crianças órfãs, ou apoio a mães que não tem como criar o filho, etc, revertendo possíveis abortos ele também pode quitar o débito contraído.

No entanto, a maioria de nós quer orar, pedir, chorar e fazer trocas no momento que a justiça nos cobra o débito que em algum lugar do passado cometemos e, por pura ignorância achamos que não seriamos cobrados.

Se o irmão ou irmã participou de um aborto ou o executou e deseja revertar a culpa que invade o seu coração então busque de corpo e alma a reparação do erro através do auto-aprimoramento espiritual e auxilio ao próximo.

Isso vale para qualquer erro, podemos nesta vida, através de nossa vontade transformar um desfiladeiro espinhento em uma ponte radiosa de luz. Acordem irmãos, despertem para o Cristo Interno que existe em cada um de vocês.

No livro Ação e Reação o instrutor espiritual nos fala sobre como podemos reverter a ação do aborto.

- E como se recuperará dos lamentáveis acidentes dessa ordem?
O Assistente pensou por momentos rápidos e acrescentou:
- Imaginem vocês a matriz mutilada ou deformada, na mesa da cerâmica.
Decerto que o oleiro não se utilizará dela para a modelagem de vaso nobre, mas aproveitar-lhe-á o concurso em experimentos de segunda e terceira classe... A mulher que corrompeu voluntariamente o seu centro genésico receberá de futuro almas que viciaram a forma que lhes é peculiar, e será mãe de criminosos e suicidas, no campo da reencarnação, regenerando as energias sutis do perispírito, através do sacrifício nobilitante com que se devotará aos filhos torturados e infelizes de sua carne, aprendendo a orar, a servir com nobreza e a mentalizar a maternidade pura e sadia, que acabará reconquistando ao preço de sofrimento e trabalho justos...

 

 


Células Tronco

Aconselho a leitura do livro Perguntas e Respostas Sobre a Vida (Narcí Castro de Souza), a autora faz uma abordagem interessante no livro.

 


Estupro

Voltamos a informar:

O aborto só é permitido quando a mãe corre risco de vida e não existe outra opção.

Qualquer outro argumento não é desculpa aos olhos de Deus para o aborto.

Narcí Castro de Souza relata no livro Perguntas e Repostas Sobre a Vida a opinião do instrutor espiritual, vale a pena a leitura desta passagem.

 

 


Conclusão

Oro a Deus para que todos façam suas tarefas....

Que o instrutor ensine com amor aos pequeninos que ensaiam os primeiros passos...

Que os chefes estimulem o crescimento e emancipação dos subordinados...

Que os políticos velem por toda a comunidade...

Que os empregados realizem suas tarefas com amor e humildade...

e que os Pais,

responsáveis pela volta daqueles que um dia batalharam por este planeta,

aceitem de coração aberto,

a divina oportunidade que Deus lhes atribui.

Todos temos responsabilidades, TODOS,

e só estaremos aptos a melhorar a condição espiritual quando não restar mais tarefas inacabadas.

Aproveitem a oportunidade e cresçam para a vida eterna!!!

 

 
 

Perguntas Respondidas
Assunto: aborto Data : 30/09/2008
Pergunta:

uma jovem que feis um aborto por amor demaziado a sua mae para portege a vida dessa mae asimade tudo e de todos ela estar em pecado,mesmo sofendo anos ao lado de sua mae que tabem sofia . so cuidava da mae ate o fim

Resposta:

Olá,

Repito que o único argumento válido para realização do aborto é a vida da grávida correr risco.


Assunto: aborto Data : 05/08/2010
Pergunta:

estava gravida de 3 meses e meio fui fazer consulta de rotina e o medico me disse que eu tinha perdido a crianca ele fez autopicia no corpo do bebe e nao conseguiu ter uma explicacao o porque essa crianca morreu a ultima palavra que foi e um aborto natural o que siguinifica isso,eo bebe que morreu ,sera que vai ter alguma revolta? quais sao as consequencias para mim?

Resposta:

Olá,

fique tranquila, quando o aborto é natural e não houve rejeição psíquica da mãe, ou seja, você não enviou para ele pensamentos de rejeição, então não há consequência alguma para o espírito.

Foi uma passagem necessária para o espírito que agora busca o equilíbrio do seu corpo perispiritual para uma nova encarnação.


Assunto: aborto Data : 26/09/2010
Pergunta:

Fui mãe, aos 15 anos de uma menina, com 21 de outra e logo em seguida fiz um aborto, já tinha duas filhas. Mas fiquei muito triste e com 25 tive outra menina. NÃO CONSIGO DORMIR... PENSO DIRETO NO QUE FIZ , AMO DEMAIS MINHAS FILHAS.

Resposta:

Olá,

querida irmã, Jesus nos trouxe a chave para a conquista da paz quando nos informou que aqueles que estão sinceramente arrependidos e buscam a sua libertação poderão alcançar o reino dos céus.

Ficar presa ao passado não resolverá o problema e acarretará estagnação e doença, a atividade em favor dos semelhantes e dos filhos ajudará você a se perdoar.

Frequente abrigo de crianças abandonadas e dedique-se com amor aqueles que foram abandonados. Substitua o tempo dedicado a tristeza pela ação no bem, dessa forma você se sentirá cada vez mais equilibrada, aprendendo sobre o amor e a caridade, ensinando também as suas filhas lições sobre solidariedade.

Deus não deseja que sofras, mas aceita o seu arrependimento sincero e o desejo de reparar o mal praticado através de atividades que beneficiam o próximo.


Assunto: Aborto Data : 27/09/2010
Pergunta:

Boa tarde! Tenho 36 anos, vivo com meus pais e uma irmã.Sempre fui uma jovem obediente e temente a Deus, fui criada na igreja católica, realizando trabalhos e cooordenando.A minha vida sempre foi voltada para o trabalho e a igreja, nunca consegui relacionar-me afetivamente e sexualmente com um homem.A partir dos 26 anos comecei a somatizar doenças:primeiro desenvolvi hipotireoidismo agora sofro com hipertensão arterial e tenho um mioma no útero( que pelas leis físicas não tem cura, somente a retirada do útero).Tudo isto acontece, porque eu fiz um aborto em outra vida?

Resposta:

Querida irmã,

não temos como afirmar o motivo das atuais doenças e você também não deve fixar-se na causa, pois não adiantaria muita coisa descobrir o motivo dos atuais padecimentos.

A doutrina espírita nos ensina sobre como reverter essas situações, compreendendo que elas são geradas por desequilíbrios na atual encarnação ou em anteriores.

Elevando-se em qualidades morais e espirituais você atenua esses efeitos espirituais, aproveitando os ensinamentos que cada ciclo de dificuldades nos traz.

Nosso grupo possue um tratamento espiritual a distância que pode ajudá-la a compreender um pouco mais sobre esses ensinamentos.

Também existem centros espíritas que realizam tratamentos de cura, poderia ajudar bastante no seu caso.

Existem dois sites com uma listas abrangentes de centros espíritas em vários pontos do país, abaixo copio os endereços:

- http://www.espiritismoeluz.org.br/index.htm

- http://www.nucleopazeamor.org.br/centros.htm


Assunto: aborto espontaneo Data : 02/10/2010
Pergunta:

Por duas vezes tive uma gestação frustada, envolvemos com muito amor o espirito que iria voltar, ficamos muito felizes com a noticia da gravidez, mais infelizmente não consegui completar a gestação (aborto espontaneo) a familia ficou abalada, mais deste ultimo abortos senti uma sustenção muito grande, estou tendo uma força que parece que não é minha, estou consolando e dando forças ao marido e a familiares proximos que ficaram muito chateados. Pode acontecer que este espirito recuou?

Sera que pode ter sito reencarnaçao compulsoria? Se foi isso como fica a sua situação? o que posso fazer para ajudar? Acredito que através de mim este espirito não vai ter outra oportunidade, pois a minha idade não ajuda 43 anos e psicologicamente estamos sofrendo e o marido não quer saber de outra gravidez.

Tenho muita vontade de adotar.

Resposta:

É possível que o espírito recue, mas na maioria dos casos ele não possui ainda condição de renascer e o aborto é uma forma dele valorizar a vida e passar pela expiação necessária para moldar o seu perispírito, objetivando a próxima encarnação.

Em tudo que acontece podemos identificar a misericórdia de Deus.

Para ajudá-lo ore, a oração é uma benção para os espíritos desencarnados, quando realizadas por corações bondosos e amorosos podem ajudá-lo na recuperação e no equilíbrio necessário para continuar o seu caminho.


Assunto: Aborto Data : 17/10/2010
Pergunta:

Amava outa pessoa a muitos anos,estava namorando um rapaz muito agrassivo e impiedoso,porém pedi para ele usar preserveativo e ele sempre usou e na última se negou a usar com o objetivo de me prender a ele atravez de um filho,porém ele me disse para ficar tranguila que ele tomaria cuidado,e eu estava prestes a terminar o relacionamento pois não o amava e ele não era a pessoa da minha vida,engravidei e com um pouco mai de um mês de gravidez desesperada fiz o abordo levada por uma prima,porém na hora chorava e pensava o tempo inteiro na pessoa que eu amava,mais infelizmente cometi o ato do aborto,trabalho no auxílio de crianças orfãs e adotei duas delas indiretamente como madrinha e pratico entregas de bolsas básicas para os pobres e trabalho com médium,no setor de desobcessão pois me sinto melhor nesse setor,mais útil não sei.Hoje reencontrei essa pessoa que a muitos anos amava silenciosamente e estousentindo muita paz interior porém a culpa ainda me incomodava,ele é espirita e me confortou dizendo para horar pelo espírito e pratica caridade nas possibilidades que eu puder e que meu carma certamente será amenizado,aí então saiu um grande peso das minhas costas e me sinto muito feliz como nunca na minha vida.Será que terei de resgatar reencarnando,ou seja não terei outra opção a não ser esta ou aquí nesse plano posso estar cada vez mais quitando essa dívida.Atenciosamente desde já agradeço a resposta que tenho certeza que será dada.

Resposta:

Olá,

Já nos dizia Paulo de Tarso que um ato de amor cobre uma multidão de pecados, o arrependimento é o passo inicial para a modificação, mas o ato no bem do próximo é a ação que desfaz o erro.

Suas ações estão corretas, muito corretas aliás, parabéns pelas iniciativas. Não posso afirmar o que acontecerá, mas tenha a certeza que a paz que sentes é fruto de uma consciência mais tranquila.

Não tenho como informá-la se o erro foi completamente reparado ou se será necessário alguma expiação ou prova no futuro.

Ore a Jesus, o divino amigo, para que lhe mostre o caminho necessário para reparar de uma vez por todas tudo o que aconteceu, tenho certeza que ELE de alguma forma a mostrará.

Complementando o final da resposta enviada por minha querida amiga Narci ela informa o seguinte:

"Primeiro: o arrependimento sincero, depois: oferecer nova oportunidade ao espírito que recusamos, Depois: ser um instrumento que evite o mesmo procedimento de outra pessoa."


Assunto: aborto Data : 23/12/2010
Pergunta:

Tenho 32 anos e ha 6 meses retirei um tumor cerebral,....estava noiva....amava meu noivo, descobri que estava gravida, seria uma gravidez arriscada por causa da cirurgia recente....mas fiquei muito feliz....qdo contei p ele, p minha surpresa, ele me abandonou....dizendo que nao ficaria do meu lado e que qdo este bebe nascesse tiraria de mim....porque nao tenho condiçoes de criar....amava esse bebe, mas qdo tinha 17 enfrentei o mesmo problema...mas fui forte e minha filha nasceu...depois tive outra filha....sou feliz com as duas....mas a mais velha foi morar c o pai em outra cidade, e o meu ex noivo ameaçava fazer o mesmo....entrei em desespero....chorava todos os dias,conversava com minha barriga dizendo que o papai iria voltar.... andava pela cidade procurando por ele,chequei a ficar com bolhas nos pes....ele nao atendia minhas ligaçoes e nao tive uma amiga p me apoiar....so pessoas que me ligavam pedindo meu bebe p adoçao.... entrei em desespero....nao tive outra opção e cometi o aborto!! estou muito triste e sempre choro....nao tive escolha... e meu noivo nunca mais me procurou!! queria muito esse bebe....eu era apaixonada pelo meu noivo....sera que um dia ele pode voltar???.....sera que o bebe um dia ira me perdoar??? como esta o bebe??? eu so estava gravida de 5 semanas.... me perdoa!!

Resposta:

Olá,

querida irmã, é melhor disponibilizar o bebê para adoção que realizar o aborto, pois no aborto é retirada uma vida.

Deus é misericórdia e amor, por isso é possível resgatar através do amor ao próimo e as crianças abandonadas as faltas cometidas.

Auxilie em abrigos de crianças orfãs e ajude a mães que não desejam ter os filhos, dessa forma você estará resgatando suas faltas sem culpa ou sofrimento.

Ore a Jesus e rogue por oportunidades de auxiliar o próximo, o divino Mestra não deixará de amparar um coração que busca a luz.


Assunto: Dúvidassssssssss Data : 11/02/2011
Pergunta:

Olá....hoje me sinto a vontade em conversar e não choro mais e sim agradeço pelo período que meu pequeno ficou em meu ventre, agora neste momento parece que estou falando de um grande amigo que foi para uma viajem...Tenho um filho de 7 anos e queria muita ficar grávida novamente ..até que em Maio de 2010 atrasouuu... fiquei super ansiosa... até que POSITIVO... adorei..tudo indo bem até que tive um sangramento com 15 semanas fiquei internada e td bem, passou até que, com 27 semanas e fui ao GO, para uma consulta de rotina e foi diagnosticado óbito fetal...meu mundo caiu...ninguém teve resposta, pois o Tiago estava perfeitinho, e não haveria o "porque" da medicina - médico disse- Foi Deus que quis assim...ele sabe de tudo !!! Fiquei me perguntando...qual era o motivo...fiquei preocupada, como mãe e sabendo que a vida continua... se ele estava bem, quem estava cuidando dele, se ele tinha conseguido o que almejava, pedi por várias vezes e até hoje, o seu perdão por alguma falta no passado, pois sinto um amor imenso e hoje desejo que ele possa voltar e continuar esta caminhada juntos...Seria tão fácil se o telefone tocasse de lá de cima... com notícias, sei que egoísmo, mas ..será que você entende ??? acho que sim...Será que foi ele sofreu? Será que ele entendeu o que aconteceu com ele? Ele pode voltar ? Ele me perdoa pelas minhas faltas cometidas em outras encarnações ? Ele esta bem ? Quem esta cuidando dele ? Sei que ando sonhando com ele, mas não estão deixando, eu lembrar de tudo, mas sinto que foi com ele....Peço que ele esteja bemm...será que você pode apenas acalmar meus anseios de mãe...agradeço desde de já, meu amigo um grande abraço... fique com Deussss

Resposta:

Querida irmã,

acalme-se, pois caso contrário você não conseguirá se equilibrar e ter uma nova oportunidade de gestação, lembre-se que é necessário um equilíbrio das energias maternas e paternas para a fecundação.

Você está se culpando como se tivesse um aborto, você não é culpada pelo aborto natural, se nada fez para que a gravidez fosse interrompida.

Lembre-se que se o aborto é natural é uma prova que esse espírito teve que passar e ele está bem agora, com certeza foi resgato pelos amorosos servidores do Cristo que o preparam para uma nova oportunidade.

Você deve agora parar de se culpar e buscar o equilíbrio e confie em Deus que agora está cuidando com muito amor e carinho daquele que você ajudou no papel de mãe, porque todos somos filhos de Deus.

Existem falanges de irmãs amorosas que cuidam dos fetos que não chegam a nascer ou dos nascimortos, fique tranquila que existem muitos trabalhaores espirituais amorosos do outro lado da vida.

Não peça perdão porque você o abortou por consequencias naturais que envolvem necessidades espirituais de ambos, principalmente dele que teve que expurgar desajustes de vidas anteriores. Por isso ore com seu amor para que ele fique bem, ele receberá suas vibrações positivas e ficará muito bem.


Assunto: aborto Data : 23/02/2011
Pergunta:

Nossa choro tanto que nem sei como iniciar...Sou casada e tenho uma filhinha de 7 anos estou tentando engravidar a quase 2 anos , derrepente descobrir que estava gravida para minha imensa alegria e de minha filha também,não tenho certeza mas acredito que estava com quase 2 meses porém quando contei ao meu esposo ele não aceitou e quase me obrigou a abortar...Chorei muito foi a pior noite de toda minha vida porque ele sabia que era meu sonho ter mais um filho e mesmo assim ele comprou o veneno fazendo injetar...Hoje choro muito porque sei que poderia ser mais forte e ter lutado nem que tivesse que me separar.Não sei mais o que faço nada te mais sentido em minha vida me diz por amor de Deus o que devo fazer ???REzo muito pedindo perdão a Deus e a esse espirito que estava pra vir.

Resposta:

Olá,

é uma situação complexa e não me atrevo a informar qual o desdobramento, contudo, você não desejava o aborto, isso é um fator muito importante e será levado em conta.

É importante lembrar que você possui uma filha querida, embora a situação seja triste você tem essa filha que necessita do seu equilíbrio e carinho.

Para buscar o reparo do erro cometido busque auxiliar em entidades que ajudam crianças abandonadas e também grupos de apoio a gestantes, amparando crianças abandonadas e trabalhando para evitar o aborto você estará resgatando através do amor o erro cometido, retirando a culpa, amando o próximo, reequilibrando-se e mantendo a harmonia necessária para educar e criar sua querida filha.


Assunto: aborto Data : 11/04/2011
Pergunta:

E quando uma pessoa ja fez vários abortos, será podera ser perdoada ser se arrepender de verdade

Resposta:

Arrepender-se é o primeiro passo, o segundo é trabalhar para resgatar pelo amor através da frequencia e dedicação a crianças em abrigos e a gestantes em dificuldades. Evitando abortos e cuidando de crianças você poderá se perdoar e resgatar aos poucos os erros que foram cometidos. O terceiro passo é solicitar uma nova oportunidade para a maternidade.

Não sei se isso conseguirá extinguir todo o karma gerado, contudo, ajudará a atenuar as consequencias espirituais do aborto.


Assunto: aborto Data : 13/04/2011
Pergunta:

QUANDO EU TINHA 18 ANOS COMETI UM ABORTO, POS ERA MUITO NOVA E NÃO QUERIA O FILHO DO HOMEM QUE EU NAMORAVA NO MOMENTO. AOS 21 CASEI E TIVE UM MENINO, NA CRISE DO MEU CASAMENTO EU ENGRAVIDEI NOVAMENTE E NÃO QUERIA A MINHA FILHA, TOMEI A PILULA DO DIA SEGUINTE, MAS MESMO ASSIM A ISADORA VEIO AO MUNDO. MAS DESDE EM ENTÃO EU NÃO CONSIGO TRATA-LA DA MESMA MANEIRA QUE TRATO O MEU PRIMEIRO FILHO, EU NÃO SINTO QUE ELA ME AMA, ELA É FRIA E NÃO MOSTRA SENTIMENTOS POR MIM. TANTO QUE ELA NÃO DORMA COMIGO, ELA QUER FICAR NA CASA DA MINHA MÃE. A MINHA FAMILIA COMENTA ESTE DESCASO QUE TENHO COM A ISADORA, MAS EU TENTO MUDAR MAS NÃO CONSIGO E AS VEZES A PRESENÇA DELA NA MINHA CASA ME INCOMODA, EU FICO NERVOSA E BRIGO COM ELA Á TODO MOMENTO. POR FAVOR ME AJUDE!!! EU QUERO MUDAR ESTA FORMA DE TRATAMENTO, MAS QUERO SABER QUAL É CAUSA, POIS FAÇO ISSO ATÉ DE FORMA INCONSCIENTE, POIS DEPOIS FICO MAL COMIGO MESMA PORTAL ATITUDE. GRATA

Resposta:

Olá,

provavelmente existem laços negativos que ligam vocês a encarnações passadas.

Querida irmã, somente o amor, o verdadeiro amor, semeado pela vigilância diária e pelos conceitos evangélicos podem romper com essas dificuldades.

Cadastre-se no tratamento espiritual a distância do Grupo PAS na internet e procure também um centro espírita sério para frequentar. Aprenda um pouco mais sobre essa doutrina que consola e mostra o caminho para alcançar a paz.

Será uma longa caminhada, mas você deve começar agora, porque se não a fizer terá que retornar quantas vezes forem necessárias.

Busque a paz e confie em Jesus, o amigo de todas as horas.


Assunto: aborto Data : 21/04/2011
Pergunta:

Fiz um aborto e estou muito arrependida sei que não tem desculpa para o que fiz,mas fiquei desesperada quando soube,porque estou passando um momento dificil(meu marido tem câncer)sei que isso não é desculpa mas queria saber se tenho perdão na lei espiritual pois quero engravidar novamente,sinto que esse filho iria me trazer muitas felicidades. Sera que DEUS me perdoa?

Resposta:

Deus não se ofende, mas você transgrediu de forma grave uma lei espiritual. Para ajudar acredito que a melhor opção seja participar de trabalhos solidários que auxiliam gestantes em condição de risco e crianças abandonadas em abrigo. Ajudando a evitar novos abortos e cuidando de crianças abandonadas você poderá atenuar a grave falta que realizou, orando sempre a Deus para lhe dar uma nova oportunidade.