Páginas de Luz    (Mestres da Humanidade)
Jesus, O Cristo
por Narcí Castro de Souza

 

Jehoshua Ben Yosef, assim foi chamado este Ser Transcendental:

Jehoshua (Jesus) Ben (filho de) Yosef (José).

Nasceu em Nazaré, na Palestina, seis anos antes do estabelecido como o ano de sua vinda, no dia dezoito de março.

Quando Roma tornou-se cristã, escolheu o dia 25 de dezembro para comemorar o nascimento de Jesus, por ser esse um dia de grandes festas públicas, quando se comemorava o "Nascimento do Sol Invicto", o solstício de inverno.

Seu primeiro nome já oferece-nos a Sua origem divina. ("Veja quem tem olhos de ver.") Expliquemos:

O Deus do povo hebreu era designado com o nome de Jave
? ? ? ?=Yod He Vauhe) que significa, na Kabalah, o esquema da Lei:

O Inominável (Ain soft = Sem Princípio) designa-se por um simples (?). Quis se manifestar, vir à existência (Ex= externo + Stere = ser). Surge assim o Yod (?), força masculina fecundadora, ativa setenal que cria um campo receptivo, passivo: o espaço feminino único, o primeiro He (?). Da união dos dois surge o filho Vau (?), que se manifesta gerando um Universo. Este, ao se tornar perfeito, faz soar o segundo He (?). Vau (?) também é designado de "O Arquiteto do Universo".

O nome de Jesus ou Yehoshua, em hebraico, se escreve acrescentando a letra Shin (?) ao nome de Jevé, no centro:

? ? ? ? ? este Shin representa a matéria. Então, o nome Yehoshua significa literalmente: "Jevé encarnado". Uma Encarnação Divina, um Ser que, pela sua pureza e evolução, conseguiu manifestar de forma plena a divindade subjacente em toda a criação.

Em seu inesperado Evangelho, João, o discípulo amado, oferece-nos essa informação de forma lindíssima no capítulo 1, versículos 1 a 18.

1 - No princípio era o Verbo e o Verbo estava em Deus, e o Verbo era Deus.
2 - Ele estava no princípio em Deus.
3 - Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada foi feito.
4 - O que foi feito nele era a Vida, e a Vida era a Luz dos homens.
5 - E a Luz resplandece nas trevas, e as trevas não prevaleceram contra ela.
6 - Houve um homem, chamado João, enviado por Deus.
7 - Veio ele como testemunha, para dar testemunho da Luz, a fim de que, por meio dele, todos os homens cressem.
8 - Ele não era a luz, mas veio dar testemunho da Luz.
9 - Havia a Luz Verdadeira que ilumina a todo homem que vem do mundo.
10 - Ele não estava no mundo, foi feito por ele, e o mundo não o conheceu.
11 - Veio entre os seus, e os seus não o receberam.
12 - Mas deu o poder de tornar-se filho de Deus a todos os que receberam, aos que acreditaram em seu nome.
13 - Que não nasceram nem do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus.
14 - E o Verbo se fez carne e construiu seu tabernáculo dentro de nós, cheio de graça e Verdade, e nós contemplamos sua glória, glória igual à do Filho Unigênito do Pai.
15 - João dá testemunho e exclama: ?Eis aquele de quem eu dizia: O que vem depois de mim é maior do que eu, porque existia antes de mim."
16 - De sua plenitude todos nós recebemos, e graça por graça.
17 - Porque a Lei foi dada por Moisés, mas a graça e a Verdade vieram por Jesus Cristo.
18 - Ninguém jamais viu Deus: o Filho Unigênito que está no seio do Pai é que O Revelou.

Todo o ensino de Jesus é uma constante exortação do despertar do homem para sua origem. Através de parábolas, Ele nos acena o Caminho, procurando nos fazer entender que devemos nos esforçar para vencermos a resistência da personalidade (Satanás = aquele que se opõe ao Espírito) e encontrarmos, em nós mesmos, no Santuário do coração, o "reino dos céus".

"Buscai primeiramente o Reino de Deus e seu ajustamento a ele (sua justiça ou justeza) e tudo o mais vos será dado com acréscimo." O homem que descobre que em si mora a Luz, que é portador da Luz, para ela tem que se voltar insistentemente, a fim de manifestá-la: lutar sem esmorecimento para provocar sua eclosão, sem desanimar ante a derrota das primeiras tentativas. E Ele para ilustrar como devemos nos comportar conta uma historinha: Ver Lucas 18: 1-8.

"Em certa cidade havia um juiz que não temia a Deus, nem respeitava os homens, também naquela cidade havia uma viúva que vinha a ele constantemente pedindo-lhe que a defendesse contra seu adversário. E por muito tempo este juiz não a atendeu. Mas, para livrar-se da insistência da mulher, resolveu defendê-la para não mais ser importunado. Deus, porém, que é justo e bom, não se negará a atender um pedido daquele que por insistência demonstre realmente estar decidido a encontrá-lo e o defenderá e atenderá com rapidez."

Mais ou menos são estas as palavras relatadas pelo Evangelista.

Jesus, outra vez, ensina: ?Assim deveis proceder em busca do reino, com insistência, sem desânimo, porque quem pede recebe e a quem bate à porta esta se abrirá." Em outras passagens, muitas vezes exorta-nos a essa busca, comparando o reino de Deus a um tesouro enterrado num terreno que faz com que um homem conhecedor desta informação venda tudo o que tem para comprar o terreno com o tesouro que vale mil vezes mais do que todas as suas posses.

Exorta-nos ao amor incondicional e ao perdão, alertando que só nos desligamos de nossas dívidas na medida exata em que nos desligamos daqueles que nos devem.

Induz-nos à caridade e à não-resistência, a cedermos, mostrando que é melhor ser a vítima do que o algoz. Pois o que dermos isso mesmo receberemos multiplicado.

Jesus é a Presença mais Grandiosa que pisou este planeta. É a representação Divina mais autêntica e perfeita. É realmente o Caminho da Verdade e da Vida.


Perguntas Respondidas