Poema
voltar para consulta

Título
Eu Posso
Autor Data Publicação
27/10/2001
Origem
Texto

Mesmo que o mundo caísse

e sobre nós explodisse

destruindo o que era nosso,

EU POSSO...

Mesmo que eu me desabasse

e nada mais me sobrasse

senão ver tudo em destroço,

EU POSSO...

Mesmo que abismos medonhos

enterrem todos os meus sonhos

nas profundezas de um fosso,

EU POSSO...

Mesmo que todas pessoas

neguem minhas coisas boas,

nem por isso eu me alvoroço,

EU POSSO...

Mesmo que a fome do mundo

caia em mim neste segundo,

inda assim hoje eu almoço,

EU POSSO...

Mesmo que a minha doença

seja grave, de nascença,

pelo poder do Pai-Nosso

EU POSSO...

Mesmo que um grande fracasso

queira barrar o meu passo,

eu não paro e não acosso,

EU POSSO...

Mesmo que eu seja um vencido

muito cedo envelheço,

eu subo, eu sigo, eu remoço,

EU POSSO...

Eu posso renascer agora,

eu posso refazer a aurora...

Eu posso iluminar o meu caminho,

eu posso dar a mão ao meu vizinho...

Eu posso beijar o esfarrapado

como beijo as flores deste prado...

Eu posso ter um mundo de riqueza

eu posso ver a Deus na natureza....

Eu posso encher de amor o coração,

e fazer desta vida uma canção....

Eu posso --e sei que eu preciso --

fazer da vida um paraíso...

Eu posso - é a força da energia

que explode em mim e se irradia...

Eu posso - é a oração da Divindade

que produz em mim a realidade....

Eu posso erguer os olhos para o céu

e ver tudo branco como um véu....

Eu posso reconstruir a minha casa

eu posso ter tudo o que me apraza....

Eu posso renovar a minha saúde,

pois na vida não há nada que não mude...

Eu posso -- é a oração bendita

da minha força infinita...

Eu posso perdoar meu inimigo

porque vem a mim tudo o que eu bendigo...

Eu posso fazer da vida uma festa

por todo o tempo que me resta....

EU POSSO... EU POSSO... EU POSSO